Mundo

Colômbia e Farc fecham acordo de paz: definitivo e bilateral

A hashtag #ElÚltimoDíaDeLaGuerra" virou tendência na Colômbia

Midiamax Publicado em 22/06/2016, às 18h56

None
_90065677_guerrillafarc.jpg

A hashtag #ElÚltimoDíaDeLaGuerra" virou tendência na Colômbia

Nos jornais do mundo inteiro foi noticiado nesta quarta-feira (22) a notícia de que o governo da Colômbia e as Farc (Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia) fecham acordo nesta quinta (23) para um cessar fogo definitivo e bilateral. De acordo com informações da BBC América Latina, o anúncio é visto como histórico.

Com a medida, ambos vão abandonar as armas definitivamente. O acordo vai se oficializar ao meio dia em Havana, em Cuba. A cerimônia vai contar com o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, que encabeça o ato junto com o chefe da  FARC Timoleón Jiménez.

O acordo compreende quatro pontos:

  • Cessar fogo de forma definitiva e bilateral
  • Abandono das armas por parte das Farc
  • Garantia de segurança e luta contra as organizações criminosas responsáveis por homicídios e massacres, o que atentem contra defensores de direitos humanos, movimentos sociais e políticos
  • Perseguição de condutas criminosas que ameacem a implementação dos acordos e da construção da paz

Celebrado por uns, criticado por outros

Na cerimônia também vão estar presentes o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e os presidentes de Cuba, Raúl Castro, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, e da Venezuela, Nicolás Maduro. Esta prevista também a presença dos presidentes da República Dominicana e de El Salvador.

Estados Unidos e União Europeia devem também encaminhar para acompanhar o processo de paz.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos Juan Manuel Santos escreveu nesta quarta-feira no Twitter: "Amanhã (quinta) será um grande dia! Trabalhamos por uma Colombia na paz, um sonho começa a ser realidade".

Já Carlos Lozada, membro da equipe de negociação das FARC disse na rede social: "Para que acabe a horrível noite e os caminhos se abram para a paz e a esperança. Quinta 23 de junho anunciaremos #ElÚltimoDíaDeLaGuerra".

A hashtag virou tendência na Colômbia.

Entretanto, nem todos no país parecem de acordo com o processo. Samuel Hoyos Mejía, representante da Câmara pelo Centro Democrático, partido do senador e ex-presidente Álvaro Uribe (forte crítico do processo), tuitou: "Oxalá hoje fosse o último dia da guerra, brincar com a ilusão da paz dos colombianos é a manipulação de Santos e das FARC".

Jornal Midiamax