Mundo

Presidente do Sudão deixará a África do Sul apesar de pedido de prisão

Omar al-Bashir é procurado por genocídio pelo Tribunal Penal Internacional

Gerciane Alves Publicado em 15/06/2015, às 11h19

None
sudao.jpg

Omar al-Bashir é procurado por genocídio pelo Tribunal Penal Internacional

O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, procurado por genocídio pelo TPI (Tribunal Penal Internacional), deixará a África do Sul nesta segunda-feira, informou uma integrante da delegação que o acompanha em uma reunião de cúpula da União Africana.

“O presidente Bashir permanece em Johanesburgo e partirá hoje (segunda-feira)”, disse por telefone à AFP este integrante da delegação, apesar da justiça sul-africana ter proibido a saída do governante sudanês do país.

O TPI solicitou às autoridades sul-africanas a detenção do presidente sudanês, procurado desde 2009 por crimes de guerra e crimes contra a humanidade e desde 2010 por genocídio.

Um tribunal sul-africano proibiu, a pedido de uma ONG, que Bashir abandone o país até que a justiça se pronuncie sobre o pedido de detenção formulado pelo TPI.

ONU

Também nesta segunda, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que a ordem de detenção emitida pelo TPI deve ser acatada.

“A autoridade da Corte deve ser respeitada e sua decisão implementada”, declarou Ban em Genebra, onde participaria do início das negociações de paz para o Iêmen, que acabaram atrasando por problemas logísticos.

O responsável da ONU lembrou que a ordem de prisão contra Bashir se baseou em acusações de crimes de guerra e contra a humanidade, “o que preocupa muito seriamente”.

Jornal Midiamax