Mundo

Paris: suposta namorada de editor é impedida de ir a velório

Jeannette é mãe adotiva de uma menina e diz que a filha chamava Charb de pai

Clayton Neves Publicado em 12/01/2015, às 20h52

None
francacasalcharbdaily2.jpg

Jeannette é mãe adotiva de uma menina e diz que a filha chamava Charb de pai

Uma francesa que diz ser namorada do chargista e também editor-chefe da revista satírica Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier, o Charb, morto durante o atentado à publicação, na última quarta-feira, em Paris, foi proibida de ir ao velório e ao enterro dele. As informações são do Daily Mail.

Segundo a publicação, a família de Charb “deserdou” Jeannette Bougrab e afirmou que o namoro entre ela e o editor-chefe jamais aconteceu. A família pediu também que ela parasse de falar sobre ele.

Jeannette é mãe adotiva de uma menina de três anos e diz que a filha chamava Charb de pai. A mulher diz que chegou a ir até o Instituto Médico Legal para reconhecer o corpo do namorado, mas foi impedida pela família de acompanhar os eventos póstumos sobre o cartunista.

“A família tem me privado de um último encontro com o meu amor”, diz Jeannette. “Ao fazer isso, eles o mataram uma segunda vez”, afirma.

Ela diz ainda que nunca fizeram uma comunicado oficial para anunciar o relacionamento, mas que não o estavam escondendo. O casal estaria junto há um ano. Jeannette tem dado diversas entrevistas em canais de televisão, após a morte de Charb.

Jornal Midiamax