Mundo

Mulher esconde gravidez, mata filha e oculta corpo em mala

A irmã da britânica descobriu o corpo da recém-nascida três dias depois do parto

Gerciane Alves Publicado em 17/04/2015, às 14h01

None
mulher.jpg

A irmã da britânica descobriu o corpo da recém-nascida três dias depois do parto

Uma mulher foi sentenciada a dois anos de serviços comunitários por ter matado a filha recém-nascida e escondido seu corpo em uma mala cheia de toalhas e sacos plásticos na cidade de Bristol, em setembro do ano passado. As informações são do Daily Mail.

Claudia Martins é mãe de cinco filhos e escondeu a gravidez da caçula de toda a família. No dia 12 de setembro, reclamou que estavam com “dor nas costas” e teria parido a menina numa banheira. Então, teria enfiado papel higiênico na garganta da filha e a matado, sufocando-a. Para passar o crime “despercebido”, Martins escondeu o corpo dentro de sacos plásticos e o escondido dentro de uma mala.

Mas, sua irmã acabou descobrindo o corpo do bebê depois de sentir um cheiro muito ruim vindo do quarto de Claudia, três dias depois do parto.

A Corte de Winchester entendeu, porém, que a mulher estava sofrendo de uma ‘anormalidade momentânea de funcionamento mental’, condição conhecida como “negação patológica da gravidez”, que continuou depois de dar à luz a uma menina. Por isso, ela foi inocentada de assassinato, mas condenada por homicídio em razão da responsabilidade diminuída. Ela terá de cumprir dois anos de serviço comunitário com supervisão.

Jornal Midiamax