Família reencontra gato perdido em avião há mais de um ano nos EUA

Animal escapou de caixa em voo da United Airlines há 19 meses
| 28/07/2015
- 22:45
Família reencontra gato perdido em avião há mais de um ano nos EUA

Animal escapou de caixa em voo da United Airlines há 19 meses

Uma família americana reencontrou na semana passada seu gato de estimação mais de um ano e meio depois de ter perdido o animal durante uma viagem de avião nos Estados Unidos.

A separação ocorreu há 19 meses, quando a família se mudou do Havaí para Detroit, no Michigan. Bogie, um gato siamês, deveria ter ido junto, mas escapou de sua caixa em um voo cargueiro da United Airlines. A família achou que tinha perdido o gato para sempre.

Há cerca de seis meses, um morador do Havaí encontrou o gato na rua, e passou a cuidar dele junto com outros animais. “Tem alguns gatos que eu cuido na rua Ualena, perto do aeroporto. Bogie passou a aparecer periodicamente”, contou Bill Antilla, que alimenta os animais de rua três vezes por semana.

Ele é voluntário da CatFriends, uma ONG que cuida de animais em Oahu. Antilla percebeu que Bogie era mais tranquilo e amigável que os outros gatos, e chamou a atenção por parecer ser um siamês puro, algo estranho entre os animais locais.

Ele descobriu que o gato tinha um microchip implantado em seu corpo, e foi possível rastrear sua origem até a família em Detroit.

Um porta-voz da United Ailines contou à emissora KHON-TV como Bogie escapou.

“Nossos agentes estavam trabalhando para fechar a porta da caixa com trancas de plástico para garantir a segurança dele durante o voo. Durante esse processo, ele escapou. Nossos times fizeram buscas e colocaram cartazes nas áreas próximas. Estamos felizes que Bogie foi reunido com seus donos”.

A CatFriends enviou Bogie em um voo da United na última quinta-feira (23) para Detroit. Ele se reuniu com a família na sexta-feira (24).

“Eles estão muito felizes de tê-lo de volta”, disse a presidente da ONG, Jennifer Kishimori. “Eles disseram que ele ficou empolgado com o carpete e começou a rolar no piso.”

Veja também

A partida dos navios provou que o acordo pode funcionar e deu esperança para mais exportações de alimentos da Ucrânia

Últimas notícias