Kelly Key acaba de lançar um álbum com regravações, chamado “Do Jeito Delas”, com participações especiais de várias artistas: Luísa Sonza, Preta Gil, Pocah e MC Rebecca estão entre as estrelas.

“Cachorrinho”, na qual ela narrava uma relação abusiva e começava a se impor, ficou de fora. Ela seria cantada em parceria com Lexa, mas as gravadoras das duas não chegaram a um acordo.

Em entrevista para o portal UOL, a loira lembra da dificuldade que muitas mulheres enfrentam para sair desse tipo de relação. Com ela, não foi diferente: Óbvio que não consegui impor limites e esse relacionamento foi por água abaixo. E que bom que ele terminou. No início a gente não entende bem por que ele termina, mas depois a gente vê que foi um livramento e isso é muito bom.

Desde bem nova, Kelly Key demonstrava ser uma mulher segura de si e empoderada. A sua carreira na TV foi na Rede Globo, em 1999, aos 16 anos, como apresentadora do programa “Samba, Pagode & Cia”. Dois anos depois, assinou contrato com a Warner e estourou com os sucessos “Baba”, “Escondido” e “Cachorrinho”.

Com sua experiência, ela passou a entender que os limites só são colocados quando a mulher entende que abuso não é amor. “Quando a gente se olha, começa a entender que as coisas estão erradas, mas não é uma coisa fácil e ninguém sofre porque quer, ninguém apanha porque quer. Me entristece muito mulheres olharem para outras mulheres que viveram relacionamento abusivo e julgarem por isso porque ninguém sofre querendo”, finaliza.