MidiaMAIS / Comportamento

Pole Dance também é esporte e Mato Grosso do Sul já tem título!

No último sábado, 28, Mato Grosso do Sul foi representado pelas atletas Kris Corrêa e Lyanne Mello em Minas Gerais no I Campeonato Poços de Caldas de Pole Dance. O evento reuniu atletas de todo o país em 9 categorias. Entre os benefícios estão a melhora da coordenação motora e da consciência corporal.

Carlos Yukio Publicado em 04/05/2018, às 19h03 - Atualizado em 06/05/2018, às 13h40

None
Pole Fitness leva sul-mato-grossenses ao pódio.

Conhecido por ser uma atividade sensual, nem todo mundo sabe que o Pole Dance é um esporte fitness. Os movimentos entorno da barra que tanto já apimentaram cenas de filmes do mundo todo, agora são modalidade esportiva e ajudam a modelar o corpo. A prática não é só física já que é necessária concentração total. Entre os benefícios estão a melhora da coordenação motora e da consciência corporal.

No último sábado, 28, Mato Grosso do Sul foi representado pelas atletas Kris Corrêa e Lyanne Mello em Minas Gerais no I Campeonato Poços de Caldas de Pole Dance. O evento reuniu atletas de todo o país em 9 categorias que iam do infantil ao profissional, passando por amadores e iniciantes e nas categorias masculino e feminino.

As profissionais, sócias-proprietárias do Pole Lab Studio, atuam há mais de 3 anos ensinando a prática esportiva no estado, oferecendo aulas – para homens e mulheres – das modalidades Fitness e Exotic e cursos de formação para quem deseja atuar na área. Para Kris Corrêa, ganhadora do terceiro lugar na categoria Feminino Profissional e novata nas competições, participar prova o potencial do desenvolvimento regional do esporte. Kris relatou, em entrevista cedida à redação do MidiaMAIS que ir à competição a fez perceber que o esporte na Capital tem o nível parecido com o nacional e isso tornou a experiência ainda mais gratificante.

Pole Fitness é competição esportiva
(Foto: Rudolph Lomax)

“Foi um momento único que nos permitiu entrar em contato com muitas pessoas desse segmento que nós admiramos e que são tão apaixonadas pelo pole dance quanto nós. Mostrar o meu trabalho e receber esse prêmio foi muito importante para a mim como pole dancer, mas mais ainda para o estado porque prova que nós temos potencial para crescer nessa área”, explica Kris.

A vice-campeã da categoria Feminino Profissional, Lyanne Mello, coreografou a música “O Rastro da Lua Cheia” de Almir Sater com o intuito de levar a cultura local para a competição. “Levei um pouco da nossa região para o campeonato que tinham pessoas do país todo, pra unir uma coisa regional com uma prática esportiva que ainda é um tabu. Eu queria quebrar barreiras com relação a isso e consegui. Ganhar um título com essa apresentação foi uma experiência muito emocionante”, conta Lyanne.

O evento filiado à Confederação Brasileira de Pole Dance contou com a presença de profissionais nacionais e internacionais renomados, incluindo o brasileiro Guilherme Ambrósio e a russa Eva Bembo. Ao todo, foram mais de 50 apresentações, incluindo participações especiais de convidados.

Pole Dance como Esporte

Kris Côrrea contou à redação do MidiaMAIS que a preparação física para a competição é a mesma de um atleta de outra modalidade tradicional. Ela, e Lyanne, treinam de 2h à 4h e, 3 meses antes das competições, a intensidade dos treinos aumenta podem chegar a 5 vezes na semana. A mudança para uma alimentação mais saudável ajuda na perda de peso para tornar as posições mais fáceis de serem executadas. Não só é necessária a força para se manter no pole, também é importante ter flexibilidade.

As competições têm molde parecido com os da ginástica artística. Há figuras e posições fechadas e pré-determinadas que podem ser mescladas com apresentação com música e coreografias. Os competidores são analisados por um júri, que os avalia de acordo com a série. Apesar do clima competitivo, os jurados tendem a ser menos rigorosos do que em outros esportes dando maior abertura para a criatividade, segundo Kris.

Campo Grande ainda não tem uma federação para dar suporte aos atletas. “As pessoas conhecem mais a vertente sensual, o exotic pole, que usa a barra como um acessório de sedução, mas há também o pole fitness”, ressalta Kris. Segundo ela, uma federação poderá trazer mais atletas influentes para competirem pelo estado e também tornar a modalidade mais conhecida. “É uma paixão muito grande, como um vício. Quem consegue se envolver com esse esporte, acaba se apaixonando também”, disse.

Confira alguns dos vídeos da competição:

Fale MAIS!

O que você gostaria de ver no MidiaMAIS?
Envie sua sugestão para o e-mail [email protected], ou pelos telefones 67 99965-7898/3312-7422.
Siga o MidiaMAIS no Instagram @midia_mais_

Jornal Midiamax