MidiaMAIS / Comportamento

Boa ação e post no Facebook fizeram Olaf voltar para o ‘abraço quentinho’ de Valentina

Bichinho de pelúcia caiu na rua

Tatiana Marin Publicado em 21/03/2018, às 19h09

None

Bichinho de pelúcia caiu na rua

Quando a psicóloga Emmanuele da Silva viu um bichinho de pelúcia caindo da moto onde estavam a criança junto da mãe, ela tentou avisar, mas ela apenas acenou e foi embora. “Creio que ela estava com pressa”.

“Eu estava indo levar minha mãe à consulta médica e passei para comprar pão de queijo, na avenida do bairro onde moro. Um pouco antes vi um bichinho cair e parei ao lado da moto, buzinei para a moça que estava pilotando – na qual estava uma criancinha atrás bem agarradinha a ela -, e eu disse que caiu o bichinho. Creio que ela estava com pressa e só acenou e foi embora”, relata Emmanuele.

Quando saiu da padaria, por volta das 6h45, a psicóloga percebeu que o Olaf de pelúcia ainda estava no chão. “Me doeu no coração porque vi que ela não voltou na hora. Voltei com o carro rapidão e peguei o Olaf, sujinho tadinho”, conta ela sorrindo.

Pela sua formação, Emmanuele sabe que as crianças se apegam aos brinquedos e podem chegar a desenvolver amor pelos bichinhos e, em alguns casos, podem até adoecer.  “Estudei na faculdade que a criança tem seu objeto de transição e é super importante. Daí postei e fiquei esperançosa esperando Olaf encontrar a dona”,

Mas ela não previa o que se seguiria depois. “Não imaginava tamanha repercussão. E vi pessoas torcendo também para o final feliz que teve. Algumas até elogiaram minha atitude”, relata a psicóloga, que também tem um filho. “Mas isso deveria ser comum, deveria ser obrigação. Encontrei algo que não era meu, o mínimo era procurar a dona e a forma da postagem (da internet) facilitou tudo”, explica.

“Tenho filho e agi pensando se fosse ao contrário e gostaria que acontecesse assim também. Ontem por volta das 18h30, fui para o treino de Jiu-Jitsu. No caminho recebi uma ligação do meu pai dizendo que a menina do Olaf apareceu, e ficou extremamente feliz quando o viu. Eu fiquei perguntando se era verdade, até que falei com minha mãe e ela confirmou. Pra mim foi uma emoção. Indescritível”, afirma Emmanuele. Mais de 2 mil usuários reagiram à publicação e obteve inúmeros comentários e compartilhamentos.

Depois ela descobriu que a dona do Olaf se chama Valentina, o que para ela é mais um motivo de alegria. “Meu filho se chama Valentino Rafael, e eu achei incrível tudo isso. A sintonia, a forma que tudo aconteceu”.

Boa ação e post no Facebook fizeram Olaf voltar para o ‘abraço quentinho’ de Valentina

Jornal Midiamax