No match 'pós-pandemia', vacina é pré-requisito para 'arrastar pra direita' em Campo Grande

Não basta apenas ser uma pessoa interessante no app. Usuários afirmam preferência pelos vacinados na Capital
| 23/03/2022
- 14:40
No match 'pós-pandemia', vacina é pré-requisito para 'arrastar pra direita' em Campo Grande
Usuários do Tinder têm novas preferências (Foto: Leonardo de França)

A pandemia ainda não acabou, mas é inegável que o cenário de março de 2022 é bem diferente dos dois anos anteriores. Com o avanço vacinal em Mato Grosso do Sul, cada vez mais as pessoas sonham com o dia em que poderão tirar as máscaras, ir a locais lotados e beijar sem medo. Alguns hábitos também foram modificados com a Covid-19. Na hora de usar aplicativos de relacionamento, usuários apontam um requisito na hora de ‘arrastar pra direita’ e dar match. Não basta ser apenas uma pessoa interessante, para se dar bem no app, em Campo Grande, tem que estar vacinada contra o coronavírus.

Juan Carlo Almeida, 25 anos, é acadêmico de odontologia e bailarino. Ele afirma que as pessoas com descrições criativas são as que mais chamam atenção.

Ele disse ao MidiaMAIS que, no início da pandemia, até usava os apps de relacionamento, mas não encontrava as pessoas pessoalmente. O cenário, então, mudou de um tempo para cá. Hoje, o bailarino se sente à vontade de ir em dates em lugares abertos, sem lotação. Depois da vacinação, ele afirma que ficou muito mais tranquilo.

“As pessoas estão mais tranquilas e conscientes sobre vacinação. Inclusive, muitos colocam em seus perfis que já tomaram vacina, até o próprio app tem ferramenta hoje em dia que a pessoa mostra que é a favor da vacina e já está vacinada”, afirmou o bailarino.

Primeira vez no

Uma outra usuária dos apps de relacionamento, que preferiu não se identificar, afirma que utilizou o Tinder pela primeira vez em 2022. Depois de alguns matchs, um deles rendeu até encontro pessoal. Ela afirma que uma das coisas que fez com que se sentisse à vontade para encontrar pessoalmente foi o fato dela estar vacinada.

“Só sai uma vez com uma pessoa do Tinder que é vacinada. Usamos máscara por um tempo e depois tiramos para conversar melhor”, recorda. Questionada sobre como estão os usuários do app, ela afirma que estão mais tranquilos na hora de dar match, uma vez que o Estado está bem avançado na cobertura vacinal.

Pandemia mudou modo como pessoas dão 'match'

É o que afirmou Jim Lanzone, diretor do aplicativo, em entrevista à BBC em junho de 2021. Na época, ele disse que a pandemia da Covid-19 fez com que o comportamento dos usuários do Tinder mudasse um pouco. Além da dificuldade em se encontrar com alguém por conta das medidas de isolamento social, apenas deslizar para a direita ou esquerda deixou de ser suficiente.

Por conta disso, o Tinder passou por mudanças para fazer com que os donos dos perfis tivessem melhor conexão virtual. Segundo o CEO do aplicativo, Jim Lanzone, essas alterações refletem uma nova postura da empresa. 

“Como sabemos, nos últimos 15 a 18 meses, as pessoas realmente se abriram para se conhecer virtualmente antes de definirem relacionamentos offline, ou se abriram até para ter relacionamentos virtuais”, declarou Lanzone à BBC.

Dessa forma, enquanto as pessoas seguiam ainda no isolamento social, elas passaram a conversar mais no chat. O Juan, por exemplo, acompanhou essa mudança.

“A conversa fluía mais, pois as pessoas tinham mais tempo, estavam entediadas em suas casas, era uma forma até de manter um contato com o mundo externo enquanto isolados”, afirmou o estudante. 

No início de 2022, o encontro à moda antiga prevalece e quem tem mais de duas doses da vacina é considerado um ‘partidão’ no app. 

Veja também

Áudio de assalto foi ouvido em todo o Burger King, pelos auto-falantes

Últimas notícias