“Ai que saudade de um beija-flor…” Há um ano, a Rainha da Sofrência nos deixava após sofrer um acidente aéreo em Minas Gerais. Doze meses depois, ainda não há uma conclusão sobre as causas da tragédia que tirou a vida de Marília Mendonça, nem uma resposta sobre o que a cantora faria com os fãs que buscava pelo Brasil antes de morrer.

Uma fã de Campo Grande, inclusive, estava entre as procuradas pela artista. Em dezembro de 2021, a cantora se apresentaria na Capital de Mato Grosso do Sul, e Emanuelly, a admiradora que a Rainha da Sofrência queria achar, sonhava com o encontro.

Há três anos, a foto de Emanuelly, que na época tinha 10 anos de idade, rodou pelo país. Marília Mendonça queria saber quem era aquela menina fotografada em seu show surpresa em Campo Grande, realizado em dezembro de 2018.

Imagem usada para divulgação da iniciativa de Marília Mendonça - (Foto: Reprodução)
Imagem usada para divulgação da iniciativa de Marília Mendonça – (Foto: Reprodução)

Algo especial

Na expectativa após ter sido buscada pela sertaneja, Emanuelly pensava que finalmente poderia abraçar a artista, quando a mesma retornaria à Capital de MS para a primeira apresentação na cidade morena após a pandemia.

Infelizmente, os planos foram interrompidos pela morte, um mês antes da data do show. Segundo Fabiane Maciel, mãe da menina e também fã de Marília, a equipe da cantora não chegou a entrar em contato. “Mas estávamos acreditando que aconteceria algo especial”, disse ela ao MidiaMAIS.

“Estávamos na expectativa de poder vê-la de pertinho e tocá-la, mas, infelizmente aconteceu aquela tragédia que até hoje minha ficha não caiu. Não consigo acreditar… pra mim, ainda parece que ela está entre nós. Quando fiquei sabendo que ela estava atrás da Emanuelly, fiquei surpresa, pois estava trabalhando e amigos do trabalho chegaram falando e me perguntando, foi aí que vi o rostinho dela”, contou Fabiane.

Fabiane conseguiu tirar selfie com Marília em show (Foto: Arquivo Pessoal)
Fabiane conseguiu tirar selfie com Marília em show – (Foto: Arquivo Pessoal)

Emanuelly, então, ao descobrir que Marília queria saber quem ela era, chorou bastante, mas de emoção. “A esperança dela era ver a Marília no dia do show, ela chorou muito, pois queria subir no palco pra tocar em Marília, escalou a grade [em 2018], mas sem sucesso. Já estava tudo programado para vê-la em dezembro”, relatou a mãe.

Morte de Marília Mendonça

Neste sábado, 5 de novembro de 2022, a morte de Marília Mendonça completa um ano. Naquele dia, o Brasil perdeu o chão com a inesperada notícia da partida da Rainha da Sofrência.

No dia 5 de novembro de 2021, uma tragédia vitimou a cantora aos 26 anos de idade, no auge de sua carreira. A aeronave que levava a sertaneja para um show em Caratinga, Minas Gerais, bateu em um fio de alta tensão e despencou em uma cachoeira na zona rural do município.

https://www.youtube.com/watch?v=GEjwtkyBhOM

Outras quatro pessoas também morreram no trágico acidente: o piloto, o copiloto, o produtor e o empresário de Marília. Ela deixou a mãe, o irmão e o filho Léo, que na época tinha 1 aninho.

Marcas

As músicas “Estrelinha”, “Flor e o Beija-flor” e “Graveto” são as que mais marcaram o período pós-morte e foram usadas com exaustão para falar da cantora. O motivo é bem simples: nelas, a própria Marília canta saudade.

“Quando bater a saudade olha aqui pra cima, sabe lá no céu aquela estrelinha… hoje é minha morada, minha casinha, mesmo que de longe tão pequenininha, ela brilha mais toda vez que te vê”, é um trecho de “Estrelinha”.

“Ai que saudade de um beija-flor, que me beijou depois voou, pra longe demais… pra longe de nós”, diz “Flor e o Beija-Flor”, apresentada por seus amigos Henrique e Juliano durante seu velório. A gravação do momento também ficou na memória. Relembre:

Trecho de “Graveto” foi outro que repercutiu, pela frase: “Você virou saudade aqui dentro de casa…” Desses três singles, todo mundo tem um preferido. Qual o seu?

No auge

As canções que ela estava lançando no então álbum “Patroas 35%”, com Maiara e Maraisa, acabaram aumentando a saudade e intensificando a ausência da potência Marília Mendonça.

No dia de sua morte, antes de entrar no avião, Marília ligou para diversos fãs como forma de divulgação da música “Fã clube”, lançada naquela manhã. O carinho esteve presente até os minutos finais.

Do mesmo álbum, “Todo Mundo Menos Você” e “Presepada” foram um estouro e sua performance foi muito elogiada. Críticos da música chegaram a apontar uma nova Marília, com maturidade vocal ainda maior nessas canções.

As letras interpretadas tinham carga dramática, e nos vídeos do “Patroas 35%”, é possível observar o peso das músicas e a relevância de uma artista que cantava sofrência como ninguém… com sentimento, com o coração.

Ai que saudade de Marília Mendonça…

Perder Marília Mendonça foi como perder um familiar. Um ano depois, para os admiradores que teve em vida e para os que chegaram após a morte, ainda é difícil de acreditar que ela se foi.

Marília fez história, mas a verdade é que ninguém estava preparado para perdê-la tão cedo. Já dizia a letra do primeiro single que a projetou: “Ai que saudade de um beija-flor”…

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, com sigilo garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.