A Madre Teresa de Calcutá morreu em 1997, aos 97 anos. No entanto, ela segue como uma das mais reverenciadas personalidades do mundo e uma das grandes referências espirituais do século 20, embora algum críticos ainda questionem a comprovação de milagres. Neste mês, no entanto, quem comparecer aos cinemas poderá conhecer mais detalhes da história da santa, 25 anos após a morte.

Previsto para os dias 21 e 22 de novembro, o filme é distribuído no Brasil pela Kolbe Arte Produções. Com sessões exclusivas, o filme Amor Maior não Há mostra a santa como inspiração e protagonista do documentário, que a coloca como exemplo de autêntica caridade cristã.

Desta forma, o filme não apenas revela quem foi Madre Teresa, mas, também mostra a sua visão singular de servir a Cristo nos pobres, o que prossegue até hoje, já que é ela quem fundou as Missionárias da Caridade.

Ao falar sobre o filme, o superior da Organização Cavaleiros de Colombo, instituição responsável por produzir o filme, Patrick E. Kelly, comentou que a freira ensinou que “não existem pessoas dispensáveis”.

“Todo mundo que encontramos é feito à imagem de Deus. Então, quando Madre Teresa estava alimentando os famintos ou segurando as mãos de alguém enquanto eles morriam, ela o fazia como faria com a pessoa mais importante de sua vida, o próprio Jesus Cristo. E, em tudo isso, ela estava nos ensinando a ter um coração que vê além, e se pudéssemos aprender a ver como ela viu, o mundo seria um lugar radicalmente diferente e, eu diria, melhor”, afirmou.

Madre Teresa – Amor Maior não Há

Filmado nos cinco continentes, o filme traz imagens inéditas de arquivos institucionais e do apostolado das Missionárias da Caridade em diversos países, inclusive no Brasil, de onde foi reconhecido o milagre que corroborou para a canonização da religiosa.

O documentário conta com o depoimento de Marcílio Haddad, paulista curado de uma grave enfermidade, por intercessão da santa. Além disso, mostra momentos da vida da freira, sua profunda espiritualidade e o impacto que teve – a continua a ter – na vida dos católicos e não católicos ao redor do mundo.

Entre outros momentos, Teresa também admite de “escuridão espiritual” e o público ainda pode conhecer mais detalhes da sua amizade com outro santo venerado, o Papa João Paulo II.

“Cada palavra, cada gesto de Madre Teresa é uma inspiração para nossa vida. O filme é um verdadeiro documento sobre ela, pois traz relatos, depoimentos, cenas inéditas e históricas da vida dessa mulher que, através de seu testemunho e suas atitudes, mudou o mundo e a vida de muita gente”, avaliou a diretora executiva e fundadora da Kolbe Arte Produções, Angela Morais.

.”Trazer esta produção para o Brasil nos enche de alegria e esperança”, conta a diretora executiva e fundadora da Kolbe Arte Produções, Angela Morais.

Leia também:

Madre Teresa de Calcutá será canonizada pelo vaticano neste domingo

Origem de Madre Teresa é fonte de disputa entre albaneses e macedônios

Por que muitos criticam canonização de Madre Teresa de Calcutá