Entre elogios e críticas, projeto de revitalização da Rotunda ainda será formalizado em Campo Grande

Sectur vai tentar captar recursos através de emenda parlamentar e editais
| 23/07/2021
- 18:47
Entre elogios e críticas, projeto de revitalização da Rotunda ainda será formalizado em Campo Grande
Prédio tombado atualmente está abandonado - Foto: Reprodução

Desde que o novo projeto de restauração da Rotunda, pertencente ao Complexo Ferroviário de Campo Grande, foi divulgado pelo Jornal Midiamax, na última terça-feira (20), muito tem se comentado entre os campo-grandenses quanto à execução do projeto e até descaracterização do espaço histórico. Para muitos leitores, ainda existe dúvida de como será a execução do projeto.

Por isso, a reportagem foi em busca de respostas com o município sobre o trâmite do novo projeto de revitalização do espaço. Conforme o secretário Max Freitas, de e Turismo, a recebeu o projeto do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), até então, apenas por e-mail. Contudo, a equipe da Sectur formalizou o pedido do projeto impresso, inclusive o orçamentário, nesta quinta-feira (22).

“A Sectur está tentando captar recursos através de emenda parlamentar e editais para que o projeto seja concretizado”, explicou o secretário. Agora, a previsão é que as tratativas quanto à execução da obra sejam iniciadas.

Projeto de restauração

Desativada desde o final da década de 1990, a Rotunda nunca recebeu reparos. Tombado pelo Iphan, o prédio permanece abandonado e com muita sujeira, causada por usuários de drogas que frequentam o terreno na Rua 14 de Julho, perto da Feira Central.

A proposta de revitalização para o local recebeu o selo "+ Turismo" em 2019, concedido pelo Prodetur (Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo), do Ministério do Turismo, a projetos que contribuem para a estruturação do setor, além de fomentar o desenvolvimento local e regional.

No caso da Rotunda, o projeto ganhou o selo pelo fato de Campo Grande compor o Mapa do Turismo Brasileiro (rota Caminho dos Ipês), possuir Fórum Municipal de Turismo, contar com o Plano Municipal de Turismo e atender a outras exigências do Prodetur.

“Receber o selo indica a validação da nossa proposta de reestruturar a Rotunda e dar vida ao local. Corremos atrás deste financiamento e estamos esperançosos para que ele saia e contemple nossa iniciativa”, analisou a superintendente de Turismo da Sectur, na época.

A revitalização não começou e não há previsão de início para os trabalhos. Por enquanto, a nova cara da Rotunda é só um projeto que precisa de investimentos e atenção para sair do papel.

Descaracterização

O novo projeto de revitalização também acendeu a curiosidade dos leitores que esperavam pela reforma do espaço há muitos anos. Acontece que a nova estética do local – bem mais moderna e glamourizada – tem dividido opiniões na Internet. Enquanto uns acham que a “nova cara” da Rotunda está incrível, outros falam que vai ficar descaracterizada no contexto histórico em que ela foi criada.

O arquiteto Pedro Caçula Fernandes, de 25 anos, é apaixonado pelas construções históricas e edificações de Campo Grande. Para ele, a Rotunda sempre ocupou um espaço especial no coração, não foi à toa que o tema do seu Trabalho de Conclusão de Curso na graduação foi justamente sobre ela.

“A Rotunda esteve no meu trajeto de casa até a faculdade, e eu sempre tive curiosidade sobre aquela edificação. Então, quando decidi pelo tema do meu TCC, fui atrás da história de Campo Grande e da e vi o quão importante o edifício da Rotunda é para a construção da cidade e da nossa cultura”, contou.

De acordo com o arquiteto, o projeto de reforma da Rotunda Ferroviária é muito importante e necessário para que as pessoas passem a ocupar esse espaço tão importante para a história da Capital. “Ele está vindo para melhorar e valorizar a região, e vai dar uma ocupação para o espaço que há muito tempo não tem um uso”, disse.

Pedro ainda comenta que existe sim um limiar para fazer um projeto de reforma para edifícios históricos. Assim, a regulamentação prevê a não remoção das principais características do espaço, uma vez que é uma reforma delicada e precisa de cuidados para não perder o edifício original. Questionado se achou que o projeto atual descaracteriza a Rotunda, o arquiteto diz que, na sua opinião, não.

“O projeto está potencializando as características da Rotunda porque a edificação está abandonada desde o encerramento das atividades da NOB [Estrada de Ferro Noroeste do Brasil] e, com o passar do tempo, foi perdendo um pouco das características físicas e foi sendo depredada. Esse projeto está incluindo a edificação na nossa atualidade e eu espero que chame a atenção das pessoas para a história do Edifício e também da NOB, porque poucas pessoas conhecem”, esclarece.

Confira o novo projeto de revitalização previsto para a Rotunda

rotunda 1

rotunda 2

rotunda 3

rotunda 4

rotunda 9

rotunda 10

rotunda 8

rotunda 7

rotunda 11

rotunda 13

rotunda 16

rotunda 12

rotunda 14

rotunda 17

rotunda 15

Veja também

Apaixonado por aventura, casal deseja conhecer todos os municípios de Mato Grosso do Sul

Últimas notícias