MidiaMAIS

Para o Natal de 2021, aposta vai de 'monte o seu panetone' a combos especiais em Campo Grande

"Preferi tirar um pouco o lucro e ganhar mais clientes, do que fazer algo tão caro e impossível no momento", relatou uma confeiteira ao Jornal Midiamax

João Ramos Publicado em 16/11/2021, às 09h45

Algumas opções para o Natal de 2021
Algumas opções para o Natal de 2021 - (Fotos: Arquivos Pessoais)

Em meio à crise, é preciso inovar. Especialmente para quem trabalha no setor alimentício e conta com algumas datas comemorativas importantes para oferecer determinados produtos específicos. É o caso do Natal, que sempre vem acompanhado de novos atrativos envolvendo panetones, seja na massa, no recheio ou na cobertura: o importante é despertar o interesse da clientela.

A mais de um mês para o dia 24 de dezembro de 2021, a movimentação de quem faz seus próprios panetones para vender já começou em Campo Grande. Ainda no início de novembro, confeiteiras já aceitam encomendas e variam com novidades que vão de "monte o seu panetone" a "combos especiais".

Moradora do bairro Tijuca, Karolyne Oliveira da Cruz, de 24 anos, está investindo em panetones com recheio de mousses, docinhos e frutas. Ela acredita que terá menos encomendas, mas conquistará novos clientes. "Pesquisei bastante o preço dos concorrentes, até mesmo de outras cidades, e vi panetones de R$ 80 até R$ 120 a unidade. E, pra ser sincera, hoje não creio que temos condições de pagar por tão caro, mesmo valendo, pois há muitos gastos e trabalho", afirma Karol.

Karolyne já iniciou sua produção de 2021 (Fotos: Arquivo Pessoal)

"Meus valores são de R$ 45 qualquer um, porém, com morango, docinho e etc., tem adicional de R$ 5. Combo de 2 panetones por R$ 80 saem com R$ 10 de desconto. Mesmo com os valores lá em cima, eu uso embalagem diferente, coloco laços. Faço de tudo pra agradar. E olha que faço apenas o tamanho grande de panetone, de 500g. Porém, os que fiz ontem mesmo, foi uma dificuldade para embalar, pois ficam enormes e muito pesados com o recheio, chegou a pesar um quilo", disse ela ao MidiaMAIS.

"E, realmente, os preços estão cada vez piores, mas é que nem eu falo, preferi tirar um pouco o lucro e ganhar mais clientes, do que fazer algo tão caro e impossível no momento, né?", relatou a confeiteira.

Karolyne conta que começou a fazer panetones porque estava há um ano à procura de emprego. "Mas, quando se tem filhos pequenos, a maioria das empresas já te descarta ao saber da criança, achando que criança seja algo que atrapalhe a carreira. Tive diversas entrevistas de empregos, até mesmo em escolas, mas quando você se diz ser mãe, a possibilidade de ser contratada acaba na hora, infelizmente", lamenta.

Uma das delícias preparadas pela confeiteira Karol este ano (Fotos: Arquivo Pessoal)

Confeiteira por amor

A história de Karol é parecida com a de Débora Aline, de 32 anos, moradora do bairro Serradinho que começou a fazer panetones para vender por motivos semelhantes. 

Formada como enfermeira, ela trabalhava na Prefeitura de outro município, quando voltou para Campo Grande. "Mas, por falta de oportunidades aqui, e com crianças pequenas, decidi investir e voltar a fazer bolos de aniversário. Eu já fazia na época da faculdade, mas parei em 2017 para seguir a profissão de enfermagem", conta.

"Voltei em maio, então faço bolos de aniversário, doces gourmet, e os panetones decidi voltar a fazer para aumentar a renda no mês de dezembro e ter algo a mais para oferecer aos meus clientes. Porque, afinal, quem não gosta de um panetone? E se for trufado, melhor ainda", afirma.

Produção deliciosa de Débora para o Natal deste ano (Fotos: Arquivo Pessoal)

Débora ainda revela quais são as novidades de seus panetones para o Natal deste ano. "Esse ano irei dar a opção para o cliente de montar o panetone dele, ou seja, será trufado conforme a escolha do mesmo. Diferente de outras pessoas que produzem e diferente dos anos passados", diz ela.

Com a alta dos preços dos ingredientes, a confeiteira tem buscado soluções para contornar os valores exorbitantes. "Eu já iniciei as compras dos insumos bem antes da época, então consegui manter um preço legal. Leite condensado e chocolates nobres eu uso bastante e os preços subiram horrores. Comprei antecipadamente e sempre quando acho promoção, também busco. Teremos promoção dos grandes: a partir de 5 unidades haverá um desconto de 10%. Para os menores, daremos desconto de 20% a partir de 20 unidades", garante.

Apesar da necessidade tê-la levado para este caminho, a moradora do bairro Serradinho reflete. "Sou formada e pós-graduada como Enfermeira Urgências e Emergências, mas hoje prefiro dizer que sou mãe e confeiteira por amor", conclui.

Telefones para contato:

Karolyne - 99344-8704

Débora - 99635-1708

Jornal Midiamax