MidiaMAIS

Mais do que alimentar bebês, amamentação proporciona inúmeros benefícios para a mamãe

Segundo médica de Campo Grande, o ato ainda protege as mulheres contra o câncer de mama

João Ramos Publicado em 02/08/2021, às 09h28

Médica lembra que mesmo as mães infectadas pela Covid-19 podem e devem continuar amamentando, mas com cuidados especiais
Médica lembra que mesmo as mães infectadas pela Covid-19 podem e devem continuar amamentando, mas com cuidados especiais

Neste mês, a campanha Agosto Dourado, especial para incentivar a amamentação, ganha ainda mais notoriedade entre os dias 1 e 7, durante a Semana Mundial de Aleitamento Materno, como forma de incentivar e encorajar mulheres a praticarem esse ato. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os bebês devem receber o leite materno até os seis meses (exclusivamente) e de forma complementar até os dois anos de idade.

“O leite materno continua trazendo benefícios nutricionais e imunológicos mesmo após os seis meses. Mesmo com o início da introdução alimentar, a amamentação diminui o risco de infecções e previne doenças crônicas como diabetes, hipertensão e obesidade”, enfatiza Dra. Rubia Borges Loureiro, ginecologista e obstetra de Campo Grande.

A especialista ainda destaca que “o leite materno possui proteínas que ajudam a combater vírus e bactérias do trato gastrointestinal, é muito fácil de ser digerido, minimiza as cólicas nos bebês, especialmente nos três primeiros meses de vida, quando o intestino dele ainda está imaturo, além de contribuir com o sistema imunológico, prevenindo alergias e muitas outras doenças. A sucção que o bebê faz também auxilia no desenvolvimento de sua arcada dentária, o que traz muitos benefícios para sua vida adulta”, enfatiza.

Vínculo e proteção

Mas a amamentação traz vantagens também para as mamães. “É durante a amamentação que o vínculo entre mãe e filho é fortalecido, o ato ainda protege as mulheres contra o câncer de mama”, pontua a médica. Dra. Rubia lembra que mesmo as mães infectadas pela Covid-19 podem e devem continuar amamentando, mas usando máscara e seguindo os demais protocolos de biossegurança.

Já para as mulheres que não conseguiram amamentar seus bebês, a médica deixa um recado carinhoso. “Para essas mamães, que por algum motivo não puderam ou não conseguiram amamentar seus bebês, está tudo bem, recebam nosso abraço”. Ela explica que “existem no mercado fórmulas infantis, que, apesar de não possuírem todas as vantagens do leite materno, são enriquecidas para oferecer os nutrientes que o bebê precisa para cada fase da vida”.

Jornal Midiamax