MidiaMAIS

Folia fora de época movimenta o Centro e faz ‘contagem regressiva’ para o Carnaval

Afinal, faltam 'só' 128 dias para a festa

Guilherme Cavalcante Publicado em 22/10/2016, às 23h59

None
14666290_10210681796350562_5234603345462081796_n.jpg

Afinal, faltam 'só' 128 dias para a festa

Dizem por aí que o ano só começa depois do Carnaval, mas quem esteve na Praça Aquidauana na noite do sábado (22) quer mesmo é que 2016 acabe logo, para que a maior festa popular do Brasil se aproxime de verdade. Tanto é que a 128 dias do festejo, o local recebeu o 1º Grito do Carnaval, uma espécie de 'esquenta' da folia carnavalesca que, afinal de contas, já está 'bem aí'.

O evento de sábado surgiu da ideia de montar um bloco de carnaval e 'antecipar' o Carnaval da cidade, tudo a partir de uma conversa entre nove amigas em um bar de Campo Grande. "O nome do bloco é Calcinha Molhada porque depois a gente estava junta e entramos na piscina de roupa e tudo, daí já sabe, né?", brinca a Arquiteta Raina Alencar, 29, uma das idealizadoras do bloco, que completa. “Não estamos fazendo este encontro pra arrecadar dinheiro e sim para ser uma opção pra quem gosta da festa. Divulgamos tudo pela internet e cerca de 650 pessoas confirmaram e outras 650 se mostraram interessadas. Imaginamos que apareçam umas 300 pessoas aqui”.

A ideia é fazer um 'Grito' todo mês, um autêntico pré-carnaval. “Nós gostamos muito de pular carnaval e aqui na Capital não temos muitas opções neste quesito. Um dos motivos em montarmos este bloco foi de que ser mais uma opção para a população da cidade”, diz a psicóloga Tamyres Cuellar, 28 anos.

Somente elas

A 'calcinha' presente no nome do bloco, a propósito, também revela que há um viés feminista na iniciativa, conforme adianta a também arquiteta Isabela Sandanha, 29. “O bloco é formado somente por nós, mulheres. A gente quer ser protagonista, e não somente um simbolo de quem mostra o corpo em um evento machista”, aponta. “Mas esperamos que a população venha e vale ressaltar que os comerciantes que quiserem vir e vender algo aqui nas próximas edições podem vir e não será cobrado nada por isso", completou.

Eduardo simões, 19 anos,era uma que chegou ao local bem no início da folia, por volta das 16h30. “Vi no Facebook sobre o bloco aqui e achei super legar. Aqui não temos eventos neste sentido”, diz. “Cheguei cedo para ver como ia ser e se eu gostar voltarei das outras vezes. Aqui em Campo Grande não temos muitas opções de eventos como este, ligados ao carnaval. Gosto desta data e achei a ideia muito interessante”, completou. 

Ao longo da noite, o bloco deverá ser recebido pelo teatro Imaginário Maragangalha e pelo bloco Evoé Baco. A noite conta, ainda, com bateria de escola de samba e até Dj. “A gente ainda não sabe como ou onde vamos desfilar no Carnaval, mas se tudo der certo, poderemos nos reunir com o Cordão Valu. Tudo ainda está sendo definido, depende do sucesso de hoje”, concluiu Raina.

Confira um trechinho da festa

Jornal Midiamax