MidiaMAIS

#TEAMO: do namoro da web ao casamento e até mudança de cidade, o amor move tudo

Ela é jornalista e mudou de cidade para ficar junto do seu amado, que é músico

Carol Alencar Publicado em 12/06/2015, às 09h00

None
389315_3894299474106_1498841519_n.jpg

Ela é jornalista e mudou de cidade para ficar junto do seu amado, que é músico

Que o amor é uma coisa de doido, ah! isso é sim. Ele tem o lado ‘florzinha’ de ser, o romantismo e tal, mas quando chega e precisa mudar tudo e dar uma reviravolta em nossas vidas, ahhhh! aí ele é poderoso. Algumas pessoas pensam que isso pode ser conta do acaso ou do destino; outras pensam que é Deus agindo. Para a jornalista Priscila Corrêa, foram as duas coisas juntas – Deus e o destino.

Aos 31 anos ela tem uma história que merece ser contada na nossa série #TEAMO. Há 1 ano e meio ela disse o tão sonhado SIM ao grande amor de sua vida, o músico Cleiton Dias Fernandes, também de 31 anos. Só que, para chegarem ao dia do casamento, tiveram que contar com um cupido mais moderno, chamado ‘mundo virtual’.

A história deles começou aqui em Campo Grande, na Orla Morena, quando sem pensar, Priscila estava passeando com os amigos. Cleiton é de Vinhedo (SP) e na época, em 2011, estava a trabalho na Capital e, numa abertura de sua agenda, resolveu ir ver um amigo DJ tocar. Onde? Isso mesmo, na Orla.

“Ele foi pra Campo Grande bem na véspera do Natal, costumo dizer que foi um ‘presente’ e assim que nos vimos, ali na Orla, bateu algo muito especial que até hoje é lembrado com muito carinho porque parece que foi paixão à primeira vista”, resume.

E foi. Depois desse dia, as afinidades foram trocadas nas redes sociais. “Nós começamos a namorar sem nunca ter pegado na mão. Começamos a conversar pelo Facebook, depois de um tempo, percebemos que não era apenas uma amizade comum, porque nos falávamos todos os dias por horas. Quando identificamos que realmente estava nascendo um sentimento maior, resolvemos namorar, conheci a mãe dele pela webcam, e ele a minha, era muito engraçado e sofrido ao mesmo tempo. Nós não tínhamos condições de viajar na época, então ficamos três meses nos relacionando por câmera, foi um período muito importante, nos deu base, aprendemos a conversar e a gostar da companhia um do outro, claro que para isso, a confiança é fundamental, é preciso acima de tudo, querer e acreditar que a pessoa vale a pena, caso contrário não dá”, explica.

Como a vontade de se sentirem e de estarem juntos, fisicamente falou mais alto, Priscila não hesitou e aproveitou uma promoção de passagem aérea e foi até a região de Campinas, visitar o já namorado. “Aproveitei uma promoção de 39,90 e vim para Campinas, visitá-lo”, diz.

O primeiro beijo, finalmente foi como Pri disse: “Maravilhoso, mas ficou só nisso, porque acredito no valor da castidade e o Cleiton compreendeu muito bem, até gostou, então, só depois de muuuito tempo aconteceram mais coisas (risos)”, conta Priscila, que é da Igreja Batista.

Logo depois de eles se verem, finalmente, a vontade de estarem juntos só aumentava. Foi aí, nessas vontades que Cleiton a pediu em casamento. “Estava muito sofrido ficar longe… éramos casal normal, que também brigava por webcam, mas vi que o amor sempre falou mais alto…e resolvemos dar um passo maior, então ele me pediu em casamento à distância (risos) e eu aceitei”.

O planejamento do casamento foi também, rápido. Nesse meio tempo, entre já se conhecerem pessoalmente e planejarem o casamento, o destino, ou Deus, deu mais uma ajudinha na vida do casal. “Começamos a arrumar tudo, planejar, nesse meio tempo surgiu um emprego em uma cidade ao lado da que o Cleiton mora, era na minha área, numa empresa grande, nós conversamos e percebemos que seria bom me mudar de cidade, uma vez que, após o casamento eu viria, então eu me joguei, casar empregada é melhor né”.

O Casamento

Um ano e meio depois de se conhecerem, até que enfim, eles casaram. O casamento aconteceu em julho de 2013, numa chácara aqui em Campo Grande. A celebração foi feita por um grande amigo da jornalista, que também é pastor.

“Foi do jeito que eu sonhei, nós nunca pensamos em casar, mas o que aconteceu entre nós foi uma coisa nova, um amor puro e verdadeiro, de Deus, nós sentimos assim, foi muito rápido e objetivo. Percebemos que a distância nos fazia sofrer e que não havia motivos de ficar protelando, porque nos dávamos muito bem, tanto em ideais, quanto em caráter e filosofia de vida, então, não pensamos duas vezes, conversamos, entramos num consenso, e aqui estamos nós, rumo aos dois anos de casados”.

Hoje o casal mora em Vinhedo (SP), onde Cleiton dá aulas de música. Priscila que é jornalista trabalha numa emissora de TV em Campinas, que fica a 20 quilômetros de Vinhedo. Sobre o futuro, ela diz:: “O futuro a Deus pertence, literalmente, o que temos certeza é que queremos ficar juntos”.

Jornal Midiamax