MidiaMAIS

Na era digital, Facebook tem até grupo que dá dica de onde não trabalhar

Com o advento das redes sociais, grupos têm se especializado em dar dicas para os internautas

Clayton Neves Publicado em 12/10/2015, às 09h45

None
_mg_9624.jpg

Com o advento das redes sociais, grupos têm se especializado em dar dicas para os internautas

Que a internet veio para facilitar nossas vidas todo mundo já sabe. Para empresas, em especial, ela pode ser uma grande aliada, mas também representar um problema, dependendo é claro da maneira como atendem e das variedades de serviços que prestam a seus clientes.

Com o advento das redes sociais, grupos têm se especializado em dar dicas para os internautas. As orientações vão desde lugares onde ir ou não ir, produtos que valem ou não a pena adquirir e até empresas onde trabalhar.

Com quase 13 mil membros, o grupo ‘Onde não trabalhar em Campo Grande’ sem dúvidas é o mais polêmico. Na página no Facebook, os integrantes não se intimidam em fazer uso do espaço para compartilhar experiências desagradáveis, violações de direitos trabalhistas e abusos de empregadores para com seus funcionários.

“Trabalhei em uma terceirizada por 3 anos. Eles não pagam os acertos certinho e não registram comissão em carteira”, diz uma integrante. “Eu trabalhei em uma que eles me exploravam e na hora do acerto não pagaram minhas horas extras”, relata outra.

Reclamações a parte, o grupo também têm espaço para compartir de experiências bacanas e até para a procura e oferta de oportunidades de emprego.

Seguindo o rito, também é possível encontrar os grupos Onde ir e não ir em Campo Grande, Onde comer e por aí vai.

Para Kenneth Corrêa, diretor comercial de uma empresa de gerenciamento digital, atualmente vivemos um período onde as mídias sociais já estão consolidadas, de acordo com ele, cerca de 65% da população campo-grandense possui uma conta no Facebook. Tentar se excluir do universo digital já é algo inevitável.

Ciente de que os consumidores ganharam voz de grande alcance por meio das redes sociais, Kenneth deixa a dica.

“Os avanços da era digital nos deram muitas possibilidades. Se uma empresa é negativamente citada, cabe a ela reconhecer o ela reconhecer o erro e fazer o possível para solucioná-lo e não repeti-lo, mas caso o cliente esteja sendo injusto, também existe a possibilidade de defesa”, explica.

Em tempos modernos o que temos é a certeza de que não dá mais para vacilar. Afinal, assim como diz o ditado, tudo aquilo que vai, volta. Trazendo esse dito para nossa realidade, tudo o que é feito, pode ganhar proporções inimagináveis em questão de segundos, por meio de um simples clique.

Jornal Midiamax