MidiaMAIS

Iguaria paraguaia ganha recheio de carne seca e vira negócio de mãe e filhas

Receita da 'A Paraguaia – sopa recheada' está no amor ao prepará-la, diz a mãe

Carol Alencar Publicado em 19/08/2015, às 09h01

None
b8dwu849vp1fp5sdjtr34pdc2.jpg

Receita da ‘A Paraguaia – sopa recheada’ está no amor ao prepará-la, diz a mãe

A iguaria paraguaia que mais representa a nossa fronteira também virou gourmet. Na verdade, a sopa paraguaia é o carro- chefe de venda da dona de casa Ivete Couto e de suas filhas Daiany e Daniely. O MidiaMAIS acompanhou a inauguração do empreendimento da família, ‘A Paraguaia – Sopa Recheada’ na tarde desta terça-feira (18).

Na própria calçada de casa, mais precisamente na Rua do Rosário, próximo do Comper Ypê Center, no Monte Castelo, elas esticaram dois guarda-sóis amarelinhos em duas mesinhas e no portão, uma faixa anunciava o nome da novidade.

A ideia chamava a atenção de quem parava ali, na rua movimentada e aguçou o paladar de quem descia e sentava nas cadeiras de plástico para degustar os sabores da iguaria. “Eu queria montar alguma coisa para uma renda extra e pensei em várias iguarias que dariam retorno, a chipa foi uma, mas acho que ela já esta em todos os lugares e resolvi inovar com a sopa paraguaia, que assim como a chipa, faz um sucesso com os campo-grandenses”, conta Ivete.

Só que, não contentes apenas com a receita tradicional, elas criaram variados recheios para o prato da fronteira. Em vários tamanhos (200g, 500g e 1kg), elas lançaram sopas recheadas com carne seca, requeijão cremoso e provolone.

“Minha mãe sempre foi boa em cozinha, mas a sopa dela também sempre foi irresistível no círculo de amigos, todos cobravam, pediam, era um sucesso, só resolvemos ampliar esse dom”, brinca Daiany, a filha que está à frente das propagandas nas redes sociais.

O mais engraçado é que a família Couto – a delas, não tem vínculo algum com o Paraguai. “Somos descendentes de espanhol com português, mas acredito que os paraguaios não se importam de a gente reproduzir o prato típico deles que, afinal, é maravilhoso”, avalia a cozinheira chef.

No Facebook, a página que nomeia o novo empreendimento já tem mais de 250 curtidas e vários pedidos. “A gente começou a fazer entrega e deu certo, mas o lance de ter um ponto é bacana e resolvemos ter um truck para percorrer os lugares vendendo a sopa recheada”, conta.

Na página o recado convidativo faz as honras da casa: “’Onde o Brasil foi Paraguai’ – como dizia a guarânia de Paulo Simões e Almir Sater. A culinária representa uma enorme contribuição cultural entre Brasil e Paraguai, nossos vizinhos têm uma grande interação com nosso Estado, trocando não apenas receitas culinárias como a chipa, e a deliciosa sopa paraguaia, como também habilidades no artesanato, na música entre outras áreas. Com isso criamos A paraguaia sopa recheada, a famosa sopa do Paraguai com deliciosos recheios e típicos da nossa cultura, como a carne seca”.

Já quanto à receita, dona Ivete diz que é a receita tradicional, cebola, farinha de milho, leite, ovos e queijo e algo a mais. “O segredo está no amor em preparar e claro, em acreditar no que você esta fazendo, no caso, acreditar que vai dar certo tanto a receita como o negócio”, diz.

No truck – que está em trâmite de ser legalizado, elas vão rodar por feiras, bairros e até eventos levando a iguaria. Os preços variam de R$ 5 a R$ 45 – dependendo do tamanho que o cliente pedir.

Na casa delas, por enquanto, a calçada está aberta para receber os amigos e todos que quiserem conhecer de terça a sexta das 15 às 20 horas. Além de degustar o prato, elas vendem bebidas típicas como chá mate gelado, tubaína e minicoca. Para finalizar Daiany diz: “o cafezinho e o tereré são por conta da casa”. 

Jornal Midiamax