MidiaMAIS

Guerra nas telonas: Conheça filmes sobre conflitos em cartaz na cidade

Tema rende boa bilheteria e indicações a prêmios a diretores como Clint Eastwood e Angelina Jolie

Clayton Neves Publicado em 12/02/2015, às 12h17

None
20150211200502313218u.jpg

Tema rende boa bilheteria e indicações a prêmios a diretores como Clint Eastwood e Angelina Jolie

Seja nos bastidores, com o impacto de filmes como A entrevista, recém-exibido na cidade, seja em conflitos que não refletem necessariamente a vida de astros e produtores do cinema hollywoodiano — leia-se Brad Pitt (à frente de Corações de ferro) e Angelina Jolie (Invencível) —, a guerra está declarada, nas salas de cinema.

Estratégico, na multiplicação de espectadores, o fator “indicações ao Oscar” tem peso, entre as opções em cartaz. Na décima indicação da Polônia ao prêmio de melhor filme estrangeiro (nunca vencido), Ida, de Pawel Pawlikowski, segue uma vertente mais intimista, com os reflexos dos nazistas na vida de uma noviça judia. Lembrando também de um conflito interno de guerra particular (no caso, da homossexualidade do protagonista), O jogo da imitação concorre a oito categorias.

Bebendo de táticas milenares de guerra, O imperador tem estreia hoje na cidade. Comandado por um ex-dublê de set de cinema, o filme promete ação ininterrupta. A estreia aquece o terreno, na verdade, para uma fita muito mais aguardada pelos cinéfilos: Sniper americano. Uma volta triunfal para o sempre relevante diretor Clint Eastwood,Sniper americano lida com uma trama real, em que, para além da ação em solo iraquiano, pesa o drama interior de um homem que se armou, sem barreiras, a favor do ideal patriótico.

Vem mais chumbo por aí

Testament of youth De James Kent. Com Alicia Vikander, Taron Egerton e Emily Watson. O intenso comprometimento, baseado em fatos reais, de uma moça com ideias avançadas dá a base para o filme que transcorre durante a Primeira Guerra Mundial. Participante de situações que envolvem vítimas do conflito, Vera Brittain foi uma inglesa pacifista cujos registros de memórias renderam das raras publicações, sob ótica feminina, dos conflitos de 1914.

Eye in the sky De Gavin Hood. Com Aaron Paul, Alan Rickman e Helen Mirren. Diretor de Infância roubada (2005) e X-Men Origens: Wolverine (2009), Hood comanda o enredo em andamento de thriller e que examina um combate não muito às claras: são ataques entre aeronaves pilotadas de modo remoto, à distância. 

War pigs De Ryan Little. Com Mickey Rourke, Dolph Lundgren e Luke Goss. O diretor do bélico Santos ou soldados (2003) e da aventura A era dos dragões (2014) Anunciou para este ano o filme em que um grupo de maltrapilhos (conhecidos como “porcos de guerra”) deve avançar as fronteiras inimigas, vigiadas por nazistas, com a finalidade de promover completo extermínio.

A estrada 47 Com lançamento anunciado para 7 de maio, o filme de Vicente Ferraz tem no elenco Daniel de Oliveira e Júlio Andrade, e foi realizado por meio de coprodução entre Brasil, Itália e Portugal. Um círculo de integrantes da Força Expedicionária Brasileira ocupa o centro da narrativa, pelo impasse vivido: a partir de uma falha coletiva, eles devem optar pela possibilidade de um julgamento por deserção ou retomarem perigosas atividades.

Jornal Midiamax