MidiaMAIS

Após 15 anos, músicos do Canto da Terra se reúnem para show histórico neste sábado

A apresentação será no Parque do Peão, saída para Rochedinho, em Campo Grande

Mikaele Teodoro Publicado em 19/06/2015, às 10h30

None
unnamed_2.jpg

A apresentação será no Parque do Peão, saída para Rochedinho, em Campo Grande

Em solo sul-mato-grossense uma coisa é certa: em qualquer festa que se vá, em algum momento, se escutará o Canto da Terra. Parte da memória afetiva da maioria de nós, o grupo certamente já embalou um bom momento em família, um baile animado ou alguma lembrança de infância. E é para matar as saudades do público e dos próprios integrantes, que o grupo se reunirá em um único e histórico show neste sábado (20).

Os preparativos e a ansiedade para a apresentação são as maiores possíveis. “Estamos ensaiando incansavelmente. É um momento histórico para nós então todo cuidado é pouco. Vai ser muito legal. Um grande show”, diz Iko Cordeiro, um dos vocalistas do grupo.  Tão animado quanto o grupo está o público que já adquiriu boa parte dos convites.

“Nós não esperávamos uma procura tão grande. Sabemos do carinho do público, mas isso nos surpreendeu bastante. As mesas já estão todas compradas. É muito legal”, conta.

Iko explica que desde a última apresentação desta formação, há 15 anos, os integrantes sonhavam com um novo show, mas os projetos pessoais impediam o retorno que agora está confirmado e será durante a etapa 2015 do CLC (Circuito de Laço Comprido) no Parque do Peão, saída para Rochedinho, em Campo Grande.

Os músicos, Ireno Malaquias, Jorge Carvalho, Edmilson Freitas, mais conhecido como Feijão, Marlon Maciel e Iko Cordeiro começaram em 1993. O Canto da Terra foi considerado um fenômeno percorrendo todos os municípios do Estado com shows memoráveis.

Juntos gravaram quatro discos, um deles, o ‘Soy el Chamamé’, de 1994, chegou a ser um dos mais vendidos da região Centro-Oeste do Brasil. 

A marca do grupo sempre foi a mistura de ritmos característicos da fronteira com o Paraguai. “Nós fomos muito felizes na escolha do repertório. Tivemos um público maravilhoso. É muita alegria recordar daquela época”, conta Iko que viveu vários anos nos EUA após o termino do grupo.

Resistindo à tendência do Estado, os músicos prometem apresentar os clássicos de seu repertório e não pretendem, pelo menos não agora, inserir o comercial sertanejo universitário. “Quem sabe se estendermos essa apresentação única em uma microturnê. Não estamos pensando nisso agora. Mas se acontecer, teremos de incluir o sertanejo universitário que é muito forte entre o público jovem. ”

Os ingressos são vendidos na lanchonete Gugu Lanches. O show será no sábado (20), a partir das 22 horas. Para os apaixonados e saudosos fãs do grupo a promessa é de uma noite histórica.

Jornal Midiamax