MidiaMAIS

Grupo de Campo Grande encerra mostra de teatro em SP com espetáculo sobre Marçal de Souza

O Teatro Imaginário Maracangalha, de Campo Grande, será responsável por encerrar, neste domingo (8), a oitava Mostra de Teatro de Rua Lino Roja, realizado pelo MTR (Movimento de Teatro de Rua) de São Paulo. O evento começa na sexta-feira (6). Na capital paulista, o grupo campo-grandense vai apresentar o espetáculo “Tekoha– Ritual de Vida e […]

Arquivo Publicado em 06/12/2013, às 12h23

None
1271299157.jpg

O Teatro Imaginário Maracangalha, de Campo Grande, será responsável por encerrar, neste domingo (8), a oitava Mostra de Teatro de Rua Lino Roja, realizado pelo MTR (Movimento de Teatro de Rua) de São Paulo. O evento começa na sexta-feira (6).

Na capital paulista, o grupo campo-grandense vai apresentar o espetáculo “Tekoha– Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno”. A peça narra a trajetória do líder guarani Marçal de Souza e sua resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas.

Segundo texto da sinopse, “Tekoha”, palavra que dá nome ao espetáculo, significa modo de estar, sistema, lei, hábito, costume. O termo refere-se, assim, à terra tradicional, ao espaço que pertence à cultura guarani.

No total, 12 espetáculos estão na programação. São trabalhos dos grupos Girandolá, de Francisco Morato; Nativos da Terra Ragada, de Sorocava; Cirquinho do Revirado, de Criciúma, Santa Catariana, entre outros.

A mostra tem copatrocínio da Secretaria Municipal de Cultura e apoio institucional da Cooperativa Paulista de Teatro.

Histórico – O Teatro Imaginário Maracangalha atua em Campo Grande desde 2006. Por opção estética, trabalha a pesquisa em teatro de rua e espaços não convencionais para encenação em uma perspectiva crítica e provocadora.

O grupo amplia, com isso, o conceito de acesso às artes cênicas, circulando por ambientes que independem da caixa cênica tradicional. O formato 360º e os cortejos são marcas tradicionais da trupe.

O Imaginário Maracangalha faz parte da Rede Brasileira de Teatro de Rua (RBTR) discutindo estéticas e políticas públicas para arte pública em espaços abertos. Em 7 anos de atuação, o artistas têm participado, ativamente, de vários festivais, circuitos e mostras.

Jornal Midiamax