MidiaMAIS

“Vozes Urbanas” encerra Bienal de Teatro de MS

Com apoio do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, acontecem de 12 a 16 de setembro em Campo Grande os espetáculos, oficinas, mostras, conferências e apresentações da segunda edição da Bienal de Teatro. Mais de 30 atrações esperam pelo público em ruas, teatros e espaços públicos. Em sua […]

Arquivo Publicado em 16/09/2012, às 11h50

None

Com apoio do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, acontecem de 12 a 16 de setembro em Campo Grande os espetáculos, oficinas, mostras, conferências e apresentações da segunda edição da Bienal de Teatro.

Mais de 30 atrações esperam pelo público em ruas, teatros e espaços públicos.

Em sua primeira edição, a Bienal incluiu e desenvolveu as potencialidades dos espetáculos, com os holofotes voltados aos grupos do interior de Mato Grosso do Sul.

A segunda edição vai além. O objetivo é aproximar o que é produzido e discutido nos centros culturais do Brasil, alinhando o pensamento da classe artística de Mato Grosso do Sul com o que é moderno e contemporâneo.
Confira a programação:

16 de setembro

* Maria, Madalena (MS)

Teatro Aracy Balabanian (R$ 10,00 e R$ 5,00), às 18 horas.

Três intérpretes-criadoras de Campo Grande, Franciella Cavalheri, Miriam Gimenes e Roberta Siqueira, mediadas por Chico Neller, diretor e coreógrafo da Ginga Companhia de Dança, tratam de questões do feminino, tendo com ponto de partida os símbolos, a Virgem Maria e Maria Madalena. Maria, Madalena, separada conscientemente por uma vírgula, vem questionar os polos que a mulher vive na sociedade atual. 

* Encerramento da Bienal – Vozes Urbanas, com Teatro Para Alguém (SP)

Lendas Pub (R$ 10,00 e R$ 5,00), às 19 horas.

Uma prostituta entra num carro onde o cliente nada fala, e o silêncio vai incomodando-a. 

No trajeto, ela tenta manter um assunto com o cliente que permanece em silêncio o tempo todo, e nisso a prostituta vai revelando suas particularidades diante de sua profissão, suas revoltas, enfim sua vida, uma saga humana aparentemente desprezível mas na realidade hercúlea.
 Sua vivência na noite a permite colocar em questionamento todas as máscaras de felicidade que são vendidas pela mídia para justificar vidas vazias e terrivelmente tristes. 
Um cliente num bar deserto na calada da noite invadindo o bar pronto para fechar, sendo arrumado pelo empregado/garçom. No inicio o cliente busca apenas algumas doses de uísque para refrescar seu final de um longo dia de trabalho. 
Aos poucos, vemos o cliente propor um jogo perigoso ao garçom, que se vê subitamente numa situação sem saída. “Vozes Urbanas”, como o próprio título já sugere, são vozes dissonantes que ecoam na cidade e sua urbe, vozes ao mesmo tempo pessoais e coletivas, solitárias e universais, que desaparecem sufocadas diante da vibração constante e infinita da imensa cidade. 
Nos dois textos, o público fica isolado do local da ação principal, sozinho como os personagens solitários que vagam pela noite. Seja no quarto da prostituta, seja na cozinha do bar decrépito, seja em suas casas cada um em seu computador, são seres esquecidos da encenação, tão marginalizados quanto os personagens perambulando pela cidade com suas próprias questões existenciais, em seus monólogos surdos, cada um contribuindo à sua criação das Vozes Urbanas. 
 O espetáculo será transmitido ao vivo pela internet no site www.teatroparaalguem.com.br
* Ginga em processo com “Estudos de Superfície” – 9h às 16 horas – Centro Cultural José Octávio Guizzo

No estilo ensaio aberto, a mostra de processo é uma oportunidade de estabelecer contato com o público e promover trocas entre espectadores e bailarinos.

Na mostra, os intérpretes-criadores vão revelar o andamento da construção do novo espetáculo da Ginga – “Estudos de Superfície” – que está em processo de criação. O espetáculo é resultado do projeto 1, 2, 3… 25 anos da Ginga Companhia de Dança, aprovado pelo prêmio Klauss Vianna 2011 da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Classificação livre. 
* Rockers Bar (R$ 10,00 e R$ 5,00)

Um show de comemoração às flores e coisas simples da vida, por volta das 20h30. Acompanhada dos ”caramujos” Chicão Castro, Marco Lopes, Ricardo Maissato, Gabriel de Andrade, Vladimir Barbosa e convidados o público da boa música sul-mato-grossense já pode esperar pelo espetáculo denominado ”Girem os Sóis” com grande empolgação. 

Aqui, nesse caso ”tudo são flores sim!” Lilian que vem se achegando aos poucos na cena musical de Campo Grande com seus shows diversificados explorando a leveza das cantigas de roda, passando por clássicos da mpb, do reggae e de suas músicas autorais começou a se apresentar ainda com 12 anos de idade em palcos da capital, e solta a voz e a emoção em Girem os Sóis, um show esperado e imperdível. 
Serviço: Os ingressos custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia). 
O Passaporte para os seis espetáculos pode ser adquirido por R$ 40,00. Combo para os seis espetáculos + uma camiseta por R$ 60,00. Outras informações no site www.bienaldeteatro.com.br
Jornal Midiamax