Geral

VÍDEO: Cliente é surpreendida com ‘coisa estranha’ em caixa de suco

Suco Light de Pêssego veio estragado tendo aparência esverdeada, cheiro ruim e impróprio para consumo

Midiamax Publicado em 12/01/2015, às 21h24

None
suco.jpg

Suco Light de Pêssego veio estragado tendo aparência esverdeada, cheiro ruim e impróprio para consumo

A jornalista Eliane Nobre teve uma desagradável surpresa ao tentar consumir um suco de pêssego da marca Maguary, que teria validade para setembro de 2015. O produto comprado em caráter unitário apresentou problemas, como cheio ruim, cor esverdeada e um ‘corpo estranho’ dentro de sua embalagem, identificado pela consumidora após abrir a caixa Longa Vida. Veja o vídeo já divulgado em Rede Social por ela.

“Assustei com o que vi e mandei uma mensagem para a empresa, que recebeu o vídeo do suco em caixa do estado deplorável. Eles foram muito atenciosos, sendo que meia hora depois do registro da minha reclamação responderam. Vão me mandar pelo correio outro produto igual”, diz a consumidora, que por um tempo promete evitar o consumo de suco ou qualquer produto comercializado em caixas Tetra Park.

A mercadoria adquirida por Eliane era da linha Light, com valor de comercialização médio de R$ 4,90, forma por uma composição concentrada da polpa e substâncias como acidulante ácido cítrico, antioxidante ácido ascórbico além de edulcorantes artificiais. Mesmo com o suposto estado inadequado para consumo humano, caso a jornalista desejasse tomar alguma providência judicial contra o estabelecimento onde comprou a mercadoria, precisaria ter outra unidade do mesmo lote.

Segundo a consumidora, ela só teria adquirido um único suco de caixinha longa- vida, por ter preferência pelos sucos de polpa, vendidos em saco transparente. Eliane porém afirma ter sempre o cuidado de conferir a validade dos produtos que adquire no supermercado. O intuito da cliente em falar com a Maguary sobre o problema foi para alertar sobre o risco de intoxicação alimentar, a fim de que se evitasse a contaminação em outros consumidores.

E se ocorrer como você?

“É muito importante o consumidor ter guardado a nota fiscal da aquisição. Indo com este documento ao Comércio terá maior facilidade em efetivar a troca do produto, após informar o problema da mercadoria que comprou. No entanto, há outras medidas como acionar a Vigilância Sanitária, por exemplo, que irá inspecionar o lote do produto. A empresa que comercializar um produto do gênero alimentício, causador de um dano à Saúde de um cliente, pode sim estar sujeita a ser enquadrada em sanções penais previstas pela Legislação de Defesa do Consumidor. A questão é judicialmente se provar o fato, o agente causador e a consequência danosa do mesmo. Se um pai de família morre depois de ingerir um produto estragado, a Justiça tem como fazer a Marca responsável pela Mercadoria até pensionar a família”, esclarece o advogado, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/MS (Seccional em Mato Grosso do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil).

O que disse a fabricante sobre o fato?

“A marca Maguary, especialista em sucos e néctares há 60 anos, busca a melhoria constante de seus produtos para torná-los mais saudáveis e saborosos a cada dia. Gostaríamos de oferecer a troca deste produto por um novo. Se a senhora desejar, faremos a reposição do produto em sua casa ou no endereço de escolha. Sentimos muito por qualquer inconveniente causado. Nosso principal objetivo é a plena satisfação dos consumidores”, declarou a empresa à Eliane que irá receber outra caixa de suco light de pêssego em uma correspondência. 

Jornal Midiamax