Geral

Protestos contra alta no preço do diesel param rodovias em Mato Grosso do Sul

Paralisação deve durar mais de 24 horas, e já causa transtorno na Capital e em Chapadão do Sul

Thatiana Melo Publicado em 24/02/2015, às 10h59

None
img-20150224-wa0012.jpg

Paralisação deve durar mais de 24 horas, e já causa transtorno na Capital e em Chapadão do Sul

Caminhoneiros voltaram a interditar partes da BR-163, em Mato Grosso do Sul, na manhã desta terça-feira (24). O protesto ocorre em Campo Grande, na saída para São Paulo, e em Chapadão do Sul. Parte da BR-463, em Dourados, também está paralisada nos trechos dos quilômetros 256 a 274 e quilômetro 07, onde já passam de 2 quilômetros de extensão.

De acordo com um dos manifestantes, o caminhoneiro Edgar Polipo, de 56 anos, a paralisação deve permanecer por mais 24 horas “Não tem mais condições de trabalhar, a atividade está sendo sufocada com este aumento no preço dos combustíveis e vamos continuar parados”, explica Edgar, que ainda diz que com a movimentação a paralisação deve chegar à Capital.

Apenas carros pequenos, ônibus e caminhões com cargas vivas estão sendo liberados pelos manifestantes, que também protestam contra os seguidos aumentos dos tributos sobre o transporte, como o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) pede aos motoristas que busquem rotas alternativas, já que desde as 5 horas desta terça-feira, pontos na rodovia 163 estão fechados pelos manifestantes.

Os caminhoneiros aderiram ao protesto nacional e iniciaram os bloqueios em Mato Grosso do Sul na tarde de sábado (21), na MS-306, rodovia que liga os municípios de Chapadão do Sul e Cassilândia, região nordeste do Estado. No início da noite de dessa segunda-feira (23), a rodovia foi liberada pelos caminhoneiros que retomaram os protestos nesta terça.

 Na Capital 

A Policia Rodoviária informou que o congestionamento em Campo Grande não tem causado mal estar entre os motoristas de veículos de passeios, ambulâncias e motocicletas, pois estão sendo liberados pelos manifestantes, entretanto, os caminhoneiros, mesmo aqueles que não aderiram estão sendo parados.

 Além disso, a PRF pede que evite a BR-163, na saída para São Paulo, pois o congestionamento se inicia no macroanel. Para isso, pegue o acesso da BR-060, de Sidrolândia, de estradas vicinais ou mesmo pela Avenida Três Barras, onde existe um acesso para a saída de São Paulo.

Jornal Midiamax