Geral

Na volta do feriadão, ainda tem gasolina por R$ 3,22 em Campo Grande; confira onde

Muitos postos de combustível ainda não alteraram os preços nas bombas

Midiamax Publicado em 18/02/2015, às 13h03

None
img-20150218-wa0021.jpg

Muitos postos de combustível ainda não alteraram os preços nas bombas

Depois do feriado prolongado de Carnaval, ainda é possível encontrar gasolina a R$ 3,22 em alguns postos de Campo Grande. A nova tabela estabelecida pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), válida desde o dia 16, ainda não foi aderida nos 162 estabelecimentos da Capital e, enquanto isso, o consumidor aproveita para economizar.

Nesta quarta-feira (18), ao menos quatro postos de combustível mantém o valor da gasolina a R$ 3,22, na Avenida Três Barras, no bairro Tiradentes; no cruzamento entre a Rua Maracaju e a Avenida Calógeras, no centro da cidade; na entrada do Bairro Serradinho; e na Via Parque, próximo ao Clube Estoril. Na Avenida dos Cafezais, Jardim los Angeles, a gasolina pode ser comrpada por R$ 3,19. Quem quiser avisar sobre outros locais praticando os preços mais baixos pode entrar em contato pelo WhatsApp da redação do Jornal Midiamax, pelo número (67) 9207-4330.

Sem saber da promoção no posto de combustível próximo ao trabalho, o mototaxista Edemilson Reis, de 40 anos, que trabalha em um ponto de mototaxi no Serradinho, na região oeste da Capital, se desloca até o centro da cidade para abastecer por R$ 3,22.

“Gasto uns R$ 600 por mês de combustível e aproveito a oportunidade que tenho nas corridas para abastecer mais barato porque o combustível aumentou, mas não conseguimos cobrar a mais. Os clientes reclamaram muito, então, o jeito é procurar o lugar com menor preço”, afirma.

Na tentativa de economizar, alguns motoristas substituíram a gasolina pelo estanol, como é o caso da motorista particular Joelma Andrade, de 47 anos. “Não dá mais pra abastecer com gasolina, não compensa com esse aumento todo”, justifica.

A pensionista Adacilda Curado, de 41 anos, também optou pelo etanol. “A diferença é grande. Não está compensando abastecer com gasolina a não ser que seja para viajar”, declara. Gerente de um posto de combustível, Jean Teixeira, de 32 anos, diz que esse comportamento é comum sempre que os preços nas bombas apresentam diferença de 70%.

“Nesses casos os clientes acabam optando pelo álcool, inclusive nós damos esse direcionamento para o consumidor sobre o que compensa mais”, explica.  Este será o segundo aumento apenas neste mês. O reajuste em 1º de fevereiro está relacionado às cobranças da Cide (Contribuição sobre Intervenção no Domínio Econômico), ou seja, tributo regulador do preço de combustíveis, zerada desde 2012 e ao PIS/Cofins sobre a gasolina.

Este segundo aumento foi divulgado pelo Confaz e os valores poderiam ser alterados desde o último dia 16. A nova tabela de preço estabelece mudanças no PMPF (Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final) para os combustíveis em todos os Estados e no Distrito Federal. Conforme a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), na região Centro Oeste do país, o preço máximo pode chegar a R$ 3,79 e em Mato Grosso do Sul, especificamente, a R$ 3,62.

A reportagem do Jornal Midiamax tentou falar por telefone com o supervisor técnico do Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul) Edson Lazaroto, para saber quando o segundo aumento será repassado para o consumidor, mas até o fechamento desta matéria não obteve retorno.

Jornal Midiamax