Geral

Além de lazer, viagem para o exterior é oportunidade de negócios para brasileiros

Brasil é o 3º país com maior número de emissores de turistas nos Estados Unidos

Midiamax Publicado em 01/01/2015, às 20h51

None
aeroporto_-_divulgacao.jpg

Brasil é o 3º país com maior número de emissores de turistas nos Estados Unidos

Quando se pensa em viagem uma das primeiras coisas que vem à cabeça é o descanso, mas será que essa é a escolha mais interessante? Muitos brasileiros que viajam para o exterior seguem com objetivos que vão muito além do lazer. Mais que prazerosas, as compras podem ser transformadas em uma excelente oportunidade de ganhar dinheiro.

Comprar barato e vender pelo preço justo. Essa é a intenção do jornalista Vicenzzo Mandetta, de 25 anos. Depois de analisar os valores pagos em determinados produtos comprados no Brasil e comparar com o preço comercializado nos Estados Unidos, o jornalista começou a planejar a primeira das muitas viagens que pretende fazer à terra do Tio Sam em busca de realizar o sonho brasileiro em solo americano.

Para quem pensa em uma viagem como oportunidade de negócio, os meses mais indicados são: janeiro, fevereiro, março, abril, julho, agosto e dezembro. “Em baixa temporada é possível conseguir pacotes com passagem e hospedagem por um preço bem em conta. Já vi por menos de R$ 2 mil um período de 5 dias em Miami”, relatou.

Por outro lado, os meses de maio, junho, setembro, outubro e novembro são considerados períodos de alta temporada, quando os preços não estão tão vantajosos para as compras. O ano de 2015 começou com o dólar a R$ 2,65. O valor não é dos mais atrativos, mas ainda assim é viável, como defende o jornalista.

“O que me fez pensar nisso foram os preços absurdos que pagamos aqui no Brasil em comparação com o valor no exterior. Um playstation 4, por exemplo, pagaríamos menos de R$ 930,00 e aqui no Brasil o mesmo produtos em lojas especializadas é vendido a R$ 2.500 ou R$ 3 mil”, explicou.

Apesar das excelentes vantagens a cota deve ser levada em consideração. De acordo com a Receita Federal do Brasil, o valor permitido para o turista que ingressar no país por via aérea ou marítima é de US$ 500,00 (quinhentos dólares), o que conforme a cotação atual equivale a R$1.325,00. Já aos viajantes que chegarem ao Brasil por via terrestre, fluvial ou lacustre é de US$ 300,00, ou seja, R$ 795,00.

Dicas de viagem – O valor da cota é baixo, portanto, quem viaja para o exterior com o intuito de trazer produtos para o Brasil precisa ficar atento a algumas regras como a dos itens considerados de consumo pessoal, ou seja, que não necessitam entrar na soma, desde que estejam dentro da quantidade permitida e fora das embalagens.

Dessa forma é possível trazer: celulares (1), máquinas fotográficas (1), relógios (3), roupas e sapatos (3 de cada modelo) e cosméticos (recomenda-se no máximo dez unidades do mesmo produto).

Quanto aos itens declarados, também é preciso respeitar a quantidade permitida, por exemplo: cigarros (10 maços do exterior e mais 20 do Duty Free), bebidas (12 litros e mais 24 garrafas do Duty Free), notebook, videogames e outros eletrônicos (um de cada tipo), câmera filmadora (duas por pessoa), lentes e equipamentos fotográficos (recomenda-se no máximo 10).

Casos os produtos ultrapassem a cota é necessário pagar o imposto que equivale a 50% do valor de cada item, mas ainda assim os benefícios compensam ao menos é o que aponta as estatísticas que indicam que o Brasil é 3º país com maior número de emissores de turistas nos Estados Unidos, o que representa mais de 2 milhões de brasileiros em solo americanos, todos os anos.

Jornal Midiamax