Geral

Vizinhos da Orla Morena reclamam de casa fechada que acumula lixo e abriga mendigos

Os moradores da Avenida Noroeste, na frente da Orla Morena estão inconformados com uma casa à venda que segundo eles, está atraindo mendigos, usuários de drogas e se tornando um local propício para focos de dengues. Os vizinhos relatam que em virtude de a casa estar aberta, já entraram para ver a situação do imóvel. […]

Arquivo Publicado em 07/02/2014, às 13h41

None
649841648.jpg

Os moradores da Avenida Noroeste, na frente da Orla Morena estão inconformados com uma casa à venda que segundo eles, está atraindo mendigos, usuários de drogas e se tornando um local propício para focos de dengues. Os vizinhos relatam que em virtude de a casa estar aberta, já entraram para ver a situação do imóvel. Eles encontraram lixo, potes acumulando água, cartões de banco, de loja, medicamentos e preservativos.

Uma das vizinhas da casa desocupada é a aposentada Ismênia Barbosa Lanzarini. Ela diz que a casa está desocupada há mais de ano e que tem se tornado um problema para os moradores da região. Segundo ela, durante a noite, vários ‘desocupados’ dormem no local.

“Esses dias eu estava passeando com o meu neto de manhã, quando saiu um rapazinho daí. Ele ainda me cumprimentou”, conta. Segundo ela, a casa estaria com a rede de água ligada, e esse seria um dos motivos de as pessoas entrarem para dormir e tomar banho no local.

Ismênia relata que um vizinho teria falado com a imobiliária, mas que nenhuma providência foi tomada. “Eles disseram que iam falar com o dono, mas ficou por isso mesmo”, diz.

A aposentada Joaninha Neto Barbosa, 76 anos, mora em uma casa que faz fundos com a casa que está vazia. Ela conta que teme que alguém possa pular o muro para a casa dela e por isso, instalou cerca elétrica para se proteger. Segundo ela, é possível ouvir o barulho de gente entrando na casa.

“Virou um inferno isso aqui. É uma ‘homarada’ aí. Já ouvimos vários barulhos, sem contar que é muito sujo. Está cheio de potes de sorvete acumulando água. A gente cuida do quintal da gente, mas lá tá chamando a dengue”, pontua.

Conforme os moradores, a Polícia Militar já foi acionada e fazem rondas pelo local várias vezes durante a noite, mas, o problema não se resolve, pois os mendigos  sempre voltam para a casa. “A PM vem aí, mas mesmo assim, eles amanhecem aí”, finaliza Joaninha.

Jornal Midiamax