Geral

Vídeo: Briga entre adolescentes de Anastácio para na internet choca pais pela violência

Pai, que preferiu não se identificar, diz que as meninas no vídeo têm entre 12 e 14 anos e são todas estudantes.

Arquivo Publicado em 07/01/2014, às 14h28

None

Pai, que preferiu não se identificar, diz que as meninas no vídeo têm entre 12 e 14 anos e são todas estudantes.

Mais um vídeo de briga entre garotas adolescentes impressiona pela violência. Desta vez, o ‘combate’ aconteceu em um local conhecido como Prainha, no município de Anastácio, distante 134 quilômetros de Campo Grande. No vídeo quatro garotas aparecem brigando. Uma delas sobe na outra e bate a cabeça da jovem no chão. Vários adolescentes ao redor gritam palavras de apoio e ninguém tenta impedir a briga.

As imagens estão sendo compartilhadas em uma rede social desde o último fim de semana e um pai de Anastácio, que preferiu não de identificar, diz que as meninas no vídeo têm entre 12 e 14 anos e são todas estudantes da Rede Estadual de Ensino do município.

“Essas brigas acontecem em local ermo, escuro, sem nenhum vigilante ou guarda por perto. A Prainha deveria ser um local público que seria para lazer e esporte. Só que dá 22 horas, essa galerinha se reúne consumindo álcool, nargilé e acontecem essas coisas”, fala o pai.

Ele afirma que a violência mostrada no vídeo é tremenda e que os moradores da região temem uma possível morte por conta das brigas. “Prainha é uma área maravilhosa de lazer, mas se não fizerem nada vai caminhar para um óbito. Alguém precisa fazer alguma coisa e evitar esse tipo de situação”, afirma.

O homem ainda afirmou que vai encaminhar o vídeo ao Conselho Tutelar da cidade para identificarem as adolescentes para serem tomadas as providências cabíveis. “Tentei contatar o Conselho Tutelar, mas eles estão de recesso, mesmo assim não podemos deixar esses casos impunes”.

Polícia

A delegada Jaiza dos Santos Teixeira, da Delegacia de Anastácio afirmou que a polícia não recebeu nenhuma denúncia de brigas entre adolescentes na região da Prainha. “Ninguém veio formalizar nada e não temos nenhum boletim de ocorrência. Se são realmente adolescentes, a denúncia depende da manifestação dos responsáveis”.

Jaiza garantiu que a Polícia Civil vai investigar o caso. “Nós pedimos para que quem flagrar este tipo de violência, que denuncie”, pede.

Casos

Casos de violência entre adolescentes já causaram mortes no Estado. Luana Vieira Gregório, de 15 anos de idade, foi morta em uma briga por outra menina com um canivete Escola Estadual José Ferreira Barbosa, na Vila Bordon, em Campo Grande. O crime foi registrado em vídeo pelos colegas da garota.

Outro caso registrado em vídeo foi uma briga na frente da escola municipal Irene Szukala, também em Campo Grande, e terminou com uma aluna ferida na cabeça. Em poucos minutos, cercados de colegas, quatro meninas trocaram chutes, socos e pontapés.

Em Corumbá dois vídeos, postados na mais popular das redes sociais da internet, mostravam uma briga entre duas adolescentes nas imediações da Escola Estadual Doutor Gabriel Vandoni de Barros, no Bairro Maria Leite. As “brigonas” usavam uniforme da rede estadual de ensino.

Jornal Midiamax