Um tribunal egípcio sentenciou 126 apoiadores da Irmandade Muçulmana a 10 anos de prisão cada neste domingo, informou a TV estatal, em um caso relacionado à violência na província de Kafr el-Sheikh em agosto passado.

Os acusados gritaram “abaixo o regime militar” quando o juiz Hassan Fareed leu as sentenças em um tribunal montado em uma academia de polícia no Cairo, disseram testemunhas.

A violência em Kafr el-Sheikh ocorreu após a deposição do governo do presidente Mohamed Mursi.

As acusações contra o grupo incluíram participação em grupo terrorista.