Geral

Suposta remoção de solo contaminado na ALL um dia após multa causa curiosidade

Um dia após ser multada por derramamento de óleo, ALL começa a remover solo e evita informar destinao do material contaminado.

Arquivo Publicado em 31/05/2014, às 17h00

None
2088207329.jpg

Um dia após ser multada por derramamento de óleo, ALL começa a remover solo e evita informar destinao do material contaminado.

Um dia após a América Latina Logística (ALL) ser multada em R$ 70 mil, por derramamento de óleo lubrificante do solo e vegetação, o Midiamax recebeu nesta sexta-feira (30), denúncias de que a empresa estaria removendo o solo contaminado pelo derramamento de óleo e supostamente levando o material para outro local sem planejamento necessário. A denúncia chegou a cogitar o aterro sanitário, que fica a poucos metros do Terminal Logístico Intermodal, como provável destino.


A reportagem esteve no local e viu máquinas revolvendo o solo e colocando em uma caçamba. Ao questionar os responsáveis que estavam no local, no entanto, a equipe foi intimada a deixar o local. Não houve nenhuma explicação para a operação.


A ALL informou por meio da assessoria de imprensa que os trabalhos de limpeza e remoção do solo são feitas por uma empresa licenciada, porém, não informou quem seria responsável pelo serviço. Sobre os resíduos, foi informado que estão sendo depositados em caçambas, para posteriormente serem transportados para destinação adequada, que não foi informada.


Em nota, após autuação por crime ambiental, a ALL informou que já havia iniciado os trabalhos de limpeza no solo ocasionados pelo vazamento. A reportagem solicitou mais detalhes, mas não obteve resposta.


Por conta de denúncias anteriores, a concessionária ainda foi indagada sobre não possuir um técnico ambiental e também não houve resposta.


Multa


Depois de várias denúncias de descarte de óleo contaminado em solo e vegetação, a ALL foi multada em R$ 70 mil. Uma equipe da Polícia Militar Ambiental esteve na sede da empresa, que foi multada por derramamento de óleo lubrificante do solo e vegetação. De acordo com a PMA, o problema foi na estação de tratamento dos resíduos líquidos, que está quebrada.


Os responsáveis poderão responder por crime culposo de poluição. A pena para este crime é de seis meses a um ano de detenção. A concessionária que administra a linha férrea na região foi notificada a apresentar no prazo de seis dias junto ao 15º Batalhão da Polícia Militar Ambiental, boletim de análise do solo e da água na área afetada contendo laudo técnico informando se houve ou não contaminação por carbonato (óleo).


Leia a nota na íntegra:


A concessionária que administra a linha férrea na região informa que os trabalhos de limpeza e remoção do solo são feitos por uma empresa Licenciada. Os resíduos estão sendo depositados em caçambas, para posteriormente serem transportados para destinação adequada. Após a conclusão dos trabalhos de raspagem e remoção do solo, a empresa irá emitir o certificado de destinação dos resíduos. Equipes ambientais da ALL acompanham os trabalhos.

Jornal Midiamax