Geral

Sri Lanka terá edifício jardim mais alto do mundo

O escritório Milroy Perera, em parceria com a Mäga Engineering, revelou planos de construir uma torre residencial ajardinada de 46 andares. O edifício Clearpoint, localizado em Rajagiriya, Sri Lanka, seria o mais alto deste tipo no mundo. A torre, que tem o objetivo de impulsionar a vida urbana em equilíbrio com a natureza, será a […]

Arquivo Publicado em 18/02/2014, às 22h05

None
1150889937.jpg

O escritório Milroy Perera, em parceria com a Mäga Engineering, revelou planos de construir uma torre residencial ajardinada de 46 andares. O edifício Clearpoint, localizado em Rajagiriya, Sri Lanka, seria o mais alto deste tipo no mundo.


A torre, que tem o objetivo de impulsionar a vida urbana em equilíbrio com a natureza, será a pioneira em questão de residências sustentáveis no Sri Lanka. Segundo os arquitetos “o foco principal do projeto é criar a sensação de que está se vivendo no térreo.”


O empreendimento contará com 164 apartamentos para atingir altos níveis de sustentabilidade, utilizará técnicas passivas, como projetar grandes varandas para que as janelas não recebam luz solar direta, e assim diminuir o aquecimento dos apartamentos, assim como o uso de ar condicionado. A planta também foi pensada para receber ventilação cruzada, o que também ajuda a reduzir os gastos com energia.


Os terraços ajardinados dos apartamentos terão, além da função estética, a missão de isolar acusticamente o apartamento, aumentar o sombreamento, diminuir a temperatura dos ambientes e proporcionar melhor qualidade do ar dentro dos apartamentos. Os jardins contarão com um sistema integrado de irrigação por gotejamento, assim os moradores não precisarão rega-los.


A água dos chuveiros e pias da torre será coletada e passará por um sistema de reciclagem de água cinza. Esta água será misturada a água da chuva e direcionada às descargas dos banheiros e ao sistema de irrigação.


Painéis solares serão instalados na cobertura e gerarão energia suficiente para iluminar todas áreas coletivas, elevadores e fazer funcionar os sistemas de tratamento de água e esgoto.


O edifício ainda contará com um gerenciamento de reciclagem de lixo, onde o material reciclável será vendido e a renda será utilizada para manter a torre, abatendo assim os custos  do condomínio.

Jornal Midiamax