Geral

SP: propaganda do governo incentiva ‘xaveco’ no metrô

Uma propaganda do governo do Estado de São Paulo veiculada na Rádio Transamérica que incentiva o “xaveco” no Metrô causou polêmica nesta terça-feira, após uma semana de casos de abuso a mulheres em trens. Considerando o conteúdo do comercial machista, os deputados estaduais do PT Alencar Santana e Luiz Claudio Marcolino protocolaram uma representação contra […]

Arquivo Publicado em 25/03/2014, às 21h47

None

Uma propaganda do governo do Estado de São Paulo veiculada na Rádio Transamérica que incentiva o “xaveco” no Metrô causou polêmica nesta terça-feira, após uma semana de casos de abuso a mulheres em trens. Considerando o conteúdo do comercial machista, os deputados estaduais do PT Alencar Santana e Luiz Claudio Marcolino protocolaram uma representação contra o secretário da Casa Civil, Edson Aparecido, o diretor presidente da CPTM, Mário Manoel Seabra, e o diretor presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco.

Na propaganda, o ator ressalta os investimentos do governo nos trens e diz que metrô lotado é “bom prá xavecá a mulherada”. “Nos horário de pico é normal trem e Metrô ficá lotado. É assim nas grande metrópoles espalhadas pelo mundo. Pá falá a verdade eu até gosto do trem lotado. É bom prá xavecá a mulherada né mano! Foi assim que eu conheci a Giscreusa. Muito já foi feito e o governo sabe que ainda tem muito prá faz”, diz o homem no comercial.

No documento, entregue ao promotor Luiz Roberto Cigogna Faggioni, os deputados petistas afirmam que “não bastasse não assegurar transporte público digno que garanta tranquilidade e preservação do direito básico da mulher de não ter seu corpo usado como instrumento da satisfação da lascívia masculina, o governo do Estado de São Paulo promove uma campanha publicitária que em nada contribui para a mudança desse estado de coisas e reforça a cultura machista”.

Entre outras críticas, os deputados afirmam que a propaganda do governo Alckmin reforça a visão da mulher como objeto passivo do desejo do homem e de que seu corpo é público por isso pode ser alvo de cantada e de “xaveco”.

“O governo de São Paulo, na contramão da história e insensível ao cotidiano enfrentado pelas mulheres que utilizam desse transporte, e que são vítimas de crimes sexuais, veiculou propaganda institucional que faz verdadeira apologia e incitação ao crime. Conclui-se então que o trem lotado é um ambiente que favorece o ‘xaveco’, a ‘cantada’? Então o governo do Estado se posiciona contra as mulheres que têm o direito de não serem importunadas no seu trajeto e se posiciona a favor dos abusos cometidos nos trens do Metrô e da CPTM?”, indagam os parlamentares.

Na peça, os deputados requereram a instauração de inquérito civil, para apuração das responsabilidades civis e administrativas; que ocorra a imediata suspensão da referida propaganda, caso ainda esteja sendo veiculada, e que sejam adotadas providências para forçar o governo do Estado a promover propaganda educativa de promoção dos direitos das mulheres.

Jornal Midiamax