Geral

Site lista sete contribuições do Brasil na moda mundial

A São Paulo Fashion Week e o Fashion RIO já são parte do calendário mundial da moda há algum tempo, os estilistas brasileiros são sucesso lá fora (que tal Kate Hudson e Blair Waldorf usando sapatos Alexandre Birman?) e as grandes marcas de cosméticos começam a virar os olhos para a Amazônia — enquanto as […]

Arquivo Publicado em 09/06/2014, às 01h11

None

A São Paulo Fashion Week e o Fashion RIO já são parte do calendário mundial da moda há algum tempo, os estilistas brasileiros são sucesso lá fora (que tal Kate Hudson e Blair Waldorf usando sapatos Alexandre Birman?) e as grandes marcas de cosméticos começam a virar os olhos para a Amazônia — enquanto as empresas nacionais já incorporam nossos ingredientes típicos há tempos.


Mas, para não restar dúvidas das contribuições do Brasil para a moda e a indústria de beleza do mundo, o Telegraph fez uma lista com sete criações icônicas que saíram daqui para conquistar (principalmente) mulheres de vários outros países.

Escova Progressiva


Chamada lá fora de “Brazilian blow-dry”, “Brazilian hair straightening” e “BKT”, a arma secreta para domar os fios ganhou fãs no exterior. O sucesso lá fora foi tanto que inspirou a criação de várias técnicas parecidas para controlar o frizz.

Havaianas


O criador da Alpargatas e inventor dos chinelos de borracha Robert M. Fraser era escocês, mas as rasteiras mais famosos e fashionistas do mundo foram criados aqui mesmo. Mais de quatro bilhões de pares já foram vendidos desde o lançamento, em 1962.

Depilação cavada


Cada vez mais popular, a virilha (quase) completamente depilada foi apresentada às norte-americanas em 1987, pelo salão J. Sisters, em Manhattan, que é comandado por sete irmãs brasileiras.

O vestido de noivado de Kate Middleton


O look azul usado pela Duquesa de Cambridge combinou perfeitamente com o anel de safira que ela passou a usar quando disse “sim” ao casamento com o príncipe William. E, num piscar de olhos, sumiu das araras da Issa. Ok, ok, a estilista Daniella Issa Helayel fundou a marca em Londres. Mas não dá para ignorar que ela é brasileiríssima, fazendo do vestido mais uma contribuição brasileira à indústria fashion.

Calcinhas


Ser um país que adora o bumbum tem suas vantagens, como os cortes mais sensuais de lingerie. O Telegraph define as “Brazilian knickers” como “um meio-termo entre o fio dental e uma calçola”, mais confortáveis que o primeiro e bem mais sexy que o segundo.

Modelos quase amazonas


Mulheres lindas, poderosas, icônicas: as modelos brasileiras são queridinhas da moda, e não é à toa. Gisele Bündchen é um nome que fala por si só, mas não dá para esquecer de Adriana Lima, Alessandra Ambrosio, Izabel Goulart, Raquel Zimmerman e Isabeli Fontana, entre muitas outras.

Melissinha


Sapato de infância de muitas brasileiras, a Melissa cresceu, mudou e virou marca de desejo (e de ódio também, mas vamos focar nas coisas boas). Graças às colaborações com a estilista punk Vivienne Westwood, a marca conseguiu levar colocar o Brasil no mapa dos sapatos não-conformistas. Desde então, já fez parcerias com Karl Lagerfeld e Gareth Pugh e conquistou os pés de Dita von Teese e Katy Perry.

Estilistas


Nós importamos talento, sim. Uma série de designers brasileiros está tomando o mundo da moda nas passarelas internacionais. Francisco Costa encabeçou a divisão de roupas femininas da Calvin Klein por mais de 10 anos, e divide os holofotes da New York Fashion Week com Carlos Miele. Pedro Lourenço foi destaque na lista de estilistas promissores com até 30 anos da Forbes. E as revistas e fashionistas mais antenados estão de olho em Barbara Cassasola e Lucas Nascimento, duas grifes emergentes focadas no Reino Unido.

Jornal Midiamax