Geral

Sindicalistas prometem fechar avenidas em marcha contra Copa em SP

Trabalhadores, ativistas, estudantes e representantes de sindicatos e movimentos populares saem neste sábado, a partir das 13h, em passeata para dar início às atividades do movimento “Na Copa vai ter luta”. A manifestação sairá da Quadra do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, no Tatuapé, e deverá parar a Radial Leste. A expectativa da Conlutas, […]

Arquivo Publicado em 22/03/2014, às 17h06

None

Trabalhadores, ativistas, estudantes e representantes de sindicatos e movimentos populares saem neste sábado, a partir das 13h, em passeata para dar início às atividades do movimento “Na Copa vai ter luta”. A manifestação sairá da Quadra do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, no Tatuapé, e deverá parar a Radial Leste. A expectativa da Conlutas, central sindical que organiza a marcha, espera reunir cerca de 3 mil pessoas.


Durante a manhã, cerca de 2.000 pessoas participaram do Encontro Nacional do Espaço de Unidade de Ação, que definiu um calendário das manifestações que acontecerão no período da Copa do Mundo. Um grupo de garis do Rio de Janeiro também participa do encontro.


Estão participando do Encontro Nacional a CSP-Conlutas, A CUT Pode Mais-RS, Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo (Feraesp), Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal, Rede Jubileu Sul-Brasil, Associação Nacional dos Comitês da Copa (Ancop), Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), Federação Nacional dos Trabalhadores em Indústrias Gráficas (FNTIG), Cobap (Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas), Movimento Mulheres em Luta (MML), Anel (Assembleia Nacional de Estudantes – Livre), entre outros.


Os sindicalistas têm, basicamente, três reivindicações: “Chega de dinheiro para a FIFA, grandes empresas e bancos!”, “Recursos públicos para saúde, educação, moradia, transporte público e reforma agrária!” e “Basta de violência e de criminalização das lutas populares! Ditadura nunca mais!”

Jornal Midiamax