Geral

Semana livre para treinos é arma de Mano para melhora definitiva

A sequência de quatro derrotas do Corinthians no Campeonato Paulista foi interrompida por um empate em 1 a 1 com o Mogi Mirim no último domingo. Apesar da manutenção do jejeum de vitórias, Mano Menezes acredita que o clima no elenco já está melhor e pretende aproveitar a semana livre de jogos para motivar ainda […]

Arquivo Publicado em 10/02/2014, às 11h48

None

A sequência de quatro derrotas do Corinthians no Campeonato Paulista foi interrompida por um empate em 1 a 1 com o Mogi Mirim no último domingo. Apesar da manutenção do jejeum de vitórias, Mano Menezes acredita que o clima no elenco já está melhor e pretende aproveitar a semana livre de jogos para motivar ainda mais a equipe visando ao clássico com o Palmeiras.


Até o Dérbi, marcado para as 17h de domingo no Pacaembu, Mano terá seis dias para corrigir os problemas apresentados nos últimos compromissos pelo estadual. Para o técnico, a parte tática e coletiva já melhorou significativamente diante do Mogi no Romildão, deixando a preocupação para o rendimento individual dos atletas.


“Vamos trabalhar coisas que nas últimas semanas não conseguimos. A nossa parte individual precisa melhorar. Temos que detectar os problemas de posicionamento da bola parada. Não consegui fazer no sábado e sofremos o gol assim (Mirita marcou após cobrança de escanteio de Ratinho). Uma semana cheia abre a posibilidade de desenvolver táticas e ideias”,celebrou.


Questionado sobre a nova falha em bola parada, Mano foi enfático ao dizer que a defesa não pode ser culpada e nem que o time esteja se atirando demais ao ataque. Segundo o comandante alvinegro, o ingrediente que tem faltado para seus jogadores é a tranquilidade, abalada desde a invasão de torcedores ao CT Joaquim Grava.


“Não estamos sendo muito ofensivos. A equipe tem dois laterais de saída e dois volantes para ser mais segura. Crescemos contra o Mogi e é isso que eu quero. Tem que ter tranquilidade para jogar. Não fomos desastrosos. Temos dificuldades e precisamos absorvê-las”, sentenciou.

Jornal Midiamax