Geral

Secretário nega que vai acabar com sindicâncias e diz que faltas graves serão punidas

O secretário de Saúde de Campo Grande, Jamal Salem, negou nesta quarta-feira (19) após coletiva de imprensa na Sesau que vai abolir as  500 sindicâncias instauradas na administração do prefeito cassado Alcides Bernal. “Vamos fazer um levantamento de todas as sindicâncias, que abrangem todas as áreas da saúde, e dar prosseguimento às mais graves, que […]

Arquivo Publicado em 19/03/2014, às 13h52

None
1701995851.jpg

O secretário de Saúde de Campo Grande, Jamal Salem, negou nesta quarta-feira (19) após coletiva de imprensa na Sesau que vai abolir as  500 sindicâncias instauradas na administração do prefeito cassado Alcides Bernal.

“Vamos fazer um levantamento de todas as sindicâncias, que abrangem todas as áreas da saúde, e dar prosseguimento às mais graves, que terão a punição prevista. As que não tiverem relevância serão suspensas porque precisamos dar celeridade aos trabalhos e atender a população”, destacou.

Jamal apontou como faltas graves o abandono de plantão e não cumprimento da carga horária.

“É preciso deixar claro para a população que a sindicância envolvendo o vereador Paulo Siufi já foi concluída pela administração anterior e que já está no Ministério Público Estadual. Portanto, não há como eu interferir, como estão dizendo”, esclareceu.

Jornal Midiamax