Geral

São Paulo bate Cruzeiro em “final” e aquece briga por título

Antes do jogo contra o Cruzeiro, o técnico Muricy Ramalho tentou acalmar os são-paulinos dizendo que o jogo não era uma “final”. Mas o confronto entre vice-líder e líder do Campeonato Brasileiro teve sim cara de decisão, pelo bom nível técnico, pelas emoções e pelo grande público no Estádio do Morumbi. E foi o São […]

Arquivo Publicado em 14/09/2014, às 20h28

None

Antes do jogo contra o Cruzeiro, o técnico Muricy Ramalho tentou acalmar os são-paulinos dizendo que o jogo não era uma “final”. Mas o confronto entre vice-líder e líder do Campeonato Brasileiro teve sim cara de decisão, pelo bom nível técnico, pelas emoções e pelo grande público no Estádio do Morumbi. E foi o São Paulo que levou a melhor, vencendo por 2 a 0 com autoridade, após gols de Rogério Ceni e Alan Kardec. Ainda é a 21ª rodada e por isso o jogo não decidiu nada na prática. Mas mostrou que o São Paulo está credenciado para fazer uma briga quente pelo título contra o Cruzeiro.

O time mineiro ainda tem uma boa vantagem na liderança: está com 46 pontos contra 42 do São Paulo. Mas a sequência tricolor impressiona: não perde desde 27 de julho, na 12ª rodada do Brasileiro. Está com três vitórias consecutivas e testará a boa fase contra o Coritiba, fora de casa, na próxima quarta-feira. Já o Cruzeiro vai enfrentar o Atlético-PR, no mesmo dia, em casa.

Visto como “final” do Campeonato Brasileiro, o jogo realmente teve uma cara de decisão. Durante cerca de vinte minutos, preveleceu o equilíbrio, com os times se estudando, sem pressa e com muitas trocas de passes. As grandes chances de gol surgiram em duelos entre Ricardo Goulart e Rogério Ceni. Aos 18min, o meia tentou fazer por cobertura de longe, mas o goleiro defendeu. Aos 27min, Goulart criou a jogada no meio-campo, recebeu a bola de frente para o gol, mas Ceni defendeu de novo.

Como toda grande final deve ser, aconteceu uma polêmica, aos 32min: Dedé fez pênalti em Ganso. Claramente foi falta, mas os são-paulinos também queria que o juiz desse amarelo para o zagueiro, que seria expulso automaticamente. Mas Pedro Vuaden ignorou as reclamações. Rogério Ceni foi para cobrança, chutou no meio e abriu o placar.

O São Paulo quase aproveitou o bom momento logo depois. Pato teve um bom contra-ataque nos pés, mas foi “fominha” e chutou em cima da defesa. Logo depois, Fábio fez grande defesa nos pés de Kaká, dentro da pequena área.

Jornal Midiamax