Rússia entrega dados dos controladores aéreos sobre tragédia com avião malaio

As autoridades da Rússia entregaram nesta sexta-feira à comissão de investigação internacional os dados dos controladores aéreos russos sobre a tragédia do avião malaio derrubado no leste da Ucrânia com 298 pessoas a bordo. “Os dados sobre a situação aérea do centro de controle regional de Rostov, situado na fronteira com a região ucraniana de […]
| 01/08/2014
- 18:56
Rússia entrega dados dos controladores aéreos sobre tragédia com avião malaio

As autoridades da Rússia entregaram nesta sexta-feira à comissão de investigação internacional os dados dos controladores aéreos russos sobre a tragédia do avião malaio derrubado no leste da Ucrânia com 298 pessoas a bordo.

“Os dados sobre a situação aérea do centro de controle regional de Rostov, situado na fronteira com a região ucraniana de Donetsk, foram entregues por representantes da agência federal da aviação russa, Rosaviatsia”, informaram as agências russas.

O subdiretor da Rosaviatsia, Oleg Storchev, também entregou outros dados em poder da parte russa que haviam sidos solicitados por Kiev. A tragédia ocorreu no último dia 17 de julho em uma zona controlada pelos milicianos separatistas, situada a cerca de 50 quilômetros da fronteira russa.

A delegação russa, que inclui a vários analistas em aviação, chegou a Kiev ontem com intenção de se deslocar à zona do acidente e participar da investigação internacional.

Além disso, os analistas russos tomarão parte na investigação da causa da tragédia, que, segundo as chancelarias ocidentais, estaria relacionada ao lançamento de um míssil por parte dos insurgentes pró-russos.

Os insurgentes, por outro lado, alegam que não dispõem do armamento necessário para derrubar um avião que voava a mais de 10 mil metros de altura, embora vídeos e escutas telefônicas tenham desmentido essa versão.

Os especialistas holandeses e australianos, com uma equipe maior que a de ontem, chegaram hoje ao local do acidente pelo segundo dia consecutivo através de um corredor seguro pactuado pelo Grupo de Contato (Ucrânia, Rússia e OSCE).

Ontem, no entanto, os legistas quase não puderam inspecionar a região, já que várias bombas caíram próximas à região e interromperam os trabalhos.

Veja também

Fenômeno foi constatado na galáxia Grande Nuvem de Magalhães

Últimas notícias