Geral

Rodovias federais registram queda de 71% nas mortes, mas motoristas continuam imprudentes

O feriado de carnaval terminou com saldo positivo nas rodovias federais que cortam o Estado. Durante a Operação Carnaval, realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), houve redução de 71,5% no número de mortes e de 18,9% nos acidentes em relação ao carnaval do ano passado. Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (6). De acordo com o […]

Arquivo Publicado em 06/03/2014, às 19h03

None
154357026.jpg

O feriado de carnaval terminou com saldo positivo nas rodovias federais que cortam o Estado. Durante a Operação Carnaval, realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), houve redução de 71,5% no número de mortes e de 18,9% nos acidentes em relação ao carnaval do ano passado. Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (6). De acordo com o inspetor Airton Motti Junior, chefe de fiscalização e policiamento da PRF, os números são positivos, mas mesmo assim, ainda houve muitos condutores abusando da velocidade nas rodovias.

“Esse ano tivemos um menor número de famílias dilaceradas, vemos com bons olhos a redução dos acidentes com mortos, mas com relação ao comportamento, os motoristas ainda se mostram um pouco irresponsáveis e acreditam que nunca vai acontecer nada com ele”, diz.

Durante a operação que foi realizada pela PRF entre os dias 24 de fevereiro e 5 de março, foram utilizados oito radares fotográficos que flagraram muita gente trafegando acima da velocidade. “Foram feitas autuações de pessoas andando a 150, 170 km/h em rodovias como a BR-163, que tem muita carreta, é sinuosa”, explica o inspetor.

Nos nove dias foram registrados 52 acidentes sem vítimas, 41 com feridos e duas pessoas perderam a vida em acidentes. Durante o carnaval foi intensificado o uso de radares fotográficos, apresentação de filmes educativos aos condutores, policiamento nas entradas de cidades com carnavais tradicionais e o uso de etilômetros. Os principais pontos críticos considerados pela PRF foram as cidades de Dourados, Mundo Novo, Campo Grande, Coxim, Naviraí.

Segundo Motti Júnior, a estratégia deste ano foi colocar várias viaturas e radares ao longo da rodovia para que as pessoas percebessem a presença da polícia e não cometessem crimes de trânsito e a maior parte dos acidentes foi causada por falta de atenção, velocidade acima da permitida e ultrapassagens proibidas. “As pessoas estão acostumadas a dirigir na cidade e não faz o planejamento da viagem e aliado a imprudência acabam sendo vítimas de acidentes”, afirma.

Embriaguez – Durante o carnaval 35 pessoas foram presas por dirigir embriagadas. Foram fiscalizadas 18.460 pessoas e feitos 4.717 teste de etilômetro. Por conduzir o veículo sob o efeito de bebidas alcoólicas, 101 pessoas foram autuadas. Conforme o inspetor, a utilização do etilômetro foi potencializada para conscientizar as pessoas para que não bebam e saiam à rodovia.

Jornal Midiamax