Geral

Rivais brasileiros, México e Camarões estreiam com duelo de velhos amigos

México e Camarões completam a primeira rodada do grupo do Brasil na Copa do Mundo com um duelo de velhos amigos nesta sexta-feira, em Natal. De um lado, Samuel Eto’o, principal artilheiro da história camaronesa, líder do elenco e grande esperança para que a seleção africana vá mais longe no Mundial. Do outro, o zagueiro […]

Arquivo Publicado em 13/06/2014, às 13h59

None
1618696451.jpg

México e Camarões completam a primeira rodada do grupo do Brasil na Copa do Mundo com um duelo de velhos amigos nesta sexta-feira, em Natal. De um lado, Samuel Eto’o, principal artilheiro da história camaronesa, líder do elenco e grande esperança para que a seleção africana vá mais longe no Mundial. Do outro, o zagueiro Rafa Márquez, capitão mexicano pela quarta vez seguida em Copas. Hora de deixar a amizade de lado para tentar começar com o pé direito a competição.


Eto’o e Marquez jogaram juntos por nada menos que seis temporadas no Barcelona. Lado a lado, se cansaram de erguer troféus e formaram um time que ganhou duas vezes a Uefa Champions League. O camaronês saiu do clube em 2009 para defender a Internazionale, e o mexicano deixou a Espanha no ano seguinte rumo ao New York Red Bulls, dos Estados Unidos.


“Vai ser muito especial, porque Eto’o é um bom amigo meu e passamos um bom tempo sendo companheiros. Mas agora é meu rival e tentarei me esforçar ao máximo, sabendo que ele é muito importante, um dos pilares para Camarões”, comentou Rafa Márquez na coletiva de imprensa.


Os dois são hoje peças muito importantes em suas seleções, mas também não vivem mais o auge. Eto’o segue sendo o principal artilheiro camaronês, mas ainda não sabe o futuro da próxima temporada e vem sendo duramente criticado por ter liderada a greve que fez com que Camarões chegasse atrasado ao Brasil. Já Marquez não foi bem nos EUA e só voltou à seleção após retornar ao México, onde defende o León.


Curiosamente, o México ainda tem mais um ex-companheiro de Eto’o, o também atacante Giovani dos Santos. “É um grande jogador, estive com ele no Barcelona e sei de sua capacidade, de seu talento. É o jogador que mais pode desequilibrar para Camarões”, disse Gio, que conviveu com o camaronês entre 2006 e 2008.


O duelo desta sexta-feira também marcará um encontro entre duas seleções que quase não se classificaram para a Copa. O México sofreu muito mais que o esperado e precisou de um gol salvador dos Estados Unidos contra o Panamá para conseguir ir à repescagem contra Nova Zelândia. Já Camarões quase foi eliminado pela frágil Líbia na África.


Porém, os objetivos agora são diferentes. Os dois times admitem o favoritismo do Brasil na chave e querem se aproveitar da derrota da Croácia para saírem a frente na briga pela segunda vaga do grupo. Os mexicanos vão até além e já falam em fazer história e até brigar pelo título.

Jornal Midiamax