Geral

Revoltados com leis que têm fechado bares, artistas e empresários preparam protesto

Empresários reclamam que burocracia estaria dificultando a vida noturna em Campo Grande e dizem que situação pode causar desemprego entre artistas e funcionários de bares.

Arquivo Publicado em 17/02/2014, às 15h18

None
83479948.jpg

Empresários reclamam que burocracia estaria dificultando a vida noturna em Campo Grande e dizem que situação pode causar desemprego entre artistas e funcionários de bares.

Artistas e donos de bares de Campo Grande farão protesto em frente da Câmara na tarde desta quinta-feira (20). Encabeçada pelo promotor de evento e dono de bar, Marcos Yule, o movimento exige revisão na lei municipal do Uso e Ocupação do Solo e na Lei do Silêncio, que vêm sendo motivo de fechamento de diversos bares da Capital.

“Através destas leis querem fechar os bares por conta da música ao vivo. A prefeitura disse que todos os bares da cidade estão irregulares e podem ser fechados. Estamos com medo de registrar funcionário. Só queremos trabalhar”, frisa Yule.

Cidade fantasma

Segundo o organizador da manifestação, a população está cansada da “burocracia e moralidade da prefeitura”. O bar Miça foi fechado no ano passado por problemas com as leis. “O fechamento destes bares afeta a economia, causa desemprego. É uma falta de respeito com a profissão. Estão acabando com a cultura, daqui a pouco estaremos vivendo em uma cidade fantasma”, diz.

Volta dos grandes eventos

Yule pede a volta da Expogrande, de grandes eventos musicais na cidade. “Os artistas revelados aqui não podem voltar para tocar aqui porque não tem um espaço para eles tocarem”, conta, revelando que a dupla Munhoz & Mariano vai gravar DVD no interior de São Paulo em vez de Campo Grande, por causa do problema.

Repercussão no Facebook

Marcos Yule publicou postagem em seu Facebook no sábado (15) relatando a situação e citando perseguição do Ministério Público Estadual e da Prefeitura de Campo Grande. A postagem teve quase 200 curtidas e foi compartilhada por 25 pessoas e depois disso o assunto ganhou repercussão na rede social, com postagens de diversos artistas, com a hashtag #queremcalarcampogrande .

Veja o evento do protesto e abaixo, na íntegra, a postagem de Marcos Yule

O ministério público estadual e a prefeitura de Campo Grande estão literalmente acabando com a cultura e a noite de nossa cidade !!! Fechando bares , lanchonetes , casas de show !!

Eu estou com vergonha dessa palhaçada !!!! Governantes , acordem pra realidade , de que lado vcs estão ???? Vão perseguir bandidos , vão cuidar das pessoas que estão morrendo nos hospitais a espera de tratamento ! Onde já se viu , impedir uma pessoa de trabalhar , de gerar emprego , de movimentar a economia da cidade , abrir espaço pra músicos mostrarem o seu talento !!! Música não é poluição , música é cultura !!! As pessoas estão trabalhando pra levar o sustento pra dentro de cAsa , pra pagar o salário de vcs que não é pouco !!!! O ministério público acata denúncias e reclamações de quem “NAO quer ” algo !! E de quem “quer” ??? Vcs escutam as pessoas que “querem?” !!!uns escolhem ser médicos , outros escolhem ser mecânicos , faxineira e etc… Eu escolhi trabalhar com música e entretenimento , poderia ter escolhido coisas ilícitas , mas não, escolhi trabalhar !!! Então porque vcs tem o direito de trabalhar e nós não temos ?? Imagine se vc quisesse trabalhar e não te deixassem …. Se te multassem e te processassem cada vez que vc fosse trabalhar dignamente !!

Outro lado

Até o fechamento da matéria, a reportagem não obteve resposta da Prefeitura de Campo Grande.

Jornal Midiamax