Geral

Quinta aldeia indígena urbana deverá ser criada em Campo Grande

A quinta aldeia urbana deverá ser criada em Campo Grande em breve na região do Imbirussu. A Prefeitura declarou nesta sexta-feira (6) que estudos para a implantação serão encaminhados. Atualmente existem as aldeias: Água Bonita, Tarsila do Amaral, Darcy Ribeiro e Marçal de Souza. De acordo com levantamento feito pela Prefeitura com as lideranças, a […]

Arquivo Publicado em 06/06/2014, às 19h40

None

A quinta aldeia urbana deverá ser criada em Campo Grande em breve na região do Imbirussu. A Prefeitura declarou nesta sexta-feira (6) que estudos para a implantação serão encaminhados. Atualmente existem as aldeias: Água Bonita, Tarsila do Amaral, Darcy Ribeiro e Marçal de Souza.

De acordo com levantamento feito pela Prefeitura com as lideranças, a população indígena em Campo Grande é de cerca de 10 mil pessoas. Em reunião ocorrida hoje com membros do Conselho Municipal dos Direitos e Defesa dos Povos Indígenas, no auditório do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Planurb), o prefeito Gilmar Olarte anunciou também o desejo de implementar uma escola bilíngue.

“Serão escolas para as aldeias, que oferecerão disciplinas nas línguas terena e guarani”, disse Olarte. O presidente do conselho, Eduardo Barbosa, enfatizou que as decisões sobre as políticas públicas municipais para os indígenas devem ser tomadas em conjunto entre o Executivo e o conselho.

“Vamos caminhar com o senhor e queremos desenvolver todos os nossos setores”, afirmou. Novos membros tomaram posse hoje no Conselho. Dos 17 membros que compõem do conselho, 16 são lideranças de etnias e um conselheiro é ligado ao governo, além do presidente e vice-presidente. Todos os membros permanecerão no cargo durante dois anos.

O Conselho tem como finalidade promover políticas de apoio à comunidade indígena, divulgando a cultura de suas etnias para a população em geral e apresentar os problemas, ações e necessidades dos povos indígenas ao Executivo Municipal.

Empossados

Foram empossados: Eduardo Barbosa Pereira, presidente do conselho e conselheiro como liderança Kaiowá; Vanio Lara, vice-presidente e conselheiro pela aldeia urbana Darcy Ribeiro; Maria Moreira, como liderança Guarani; Josemar Matechua, como liderança Kadiwéu; Rotênio Mariano, como liderança Terena; Oide Felipe da Silva, pela associação indígena do Núcleo Industrial; Rosaldo de Albuquerque, pela etnia Kinikinau; Élcio da Silva, pela Associação de Moradores Indígenas de Campo Grande; Nivaldo Candelário, pela aldeia Marçal de Souza; Oswaldo Reginaldo, pela Associação Indígena da Região do Segredo; Sander Barbosa, pelo Centro Social de Cultura Nativa; Ataíde Faustino, pela Organização Indígena do Aero Rancho; Rute Torres, pela Associação de Moradores e Estudantes Indígenas; Vanda Albuquerque, pela Associação dos Feirantes Indígenas; Evanisa Mariano pela Assocaição de Mulheres Indígenas Terena Urbana; Nito Nelson, pela aldeia Água Bonita; e Rosilene Ferreira, pesa SAS, representando o governo.

Também estiveram presentes no evento: Eduardo Haddad Filho, ouvidor-geral do município; Marcos Antonio Moura Cristaldo, diretor-presidente da Planurb; Elvis Rangel, coordenador da Coordenadoria de Ações Comunitárias; e Raquel Ferraro, representante do Programa das Nações Unidas da ONU. (Com informações da PMCG)

Jornal Midiamax