Geral

Quero recuperar o meu espaço no São Paulo, diz Jadson

Sem ser relacionado pelo técnico Muricy Ramalho para as três primeiras partidas do São Paulo na temporada, o meia-atacante Jadson negou que esteja insatisfeito e queira deixar o clube. O jogador não foi relacionado pelo treinador são-paulino após se apresentar acima do peso. Na vitória sobre o Oeste por 2 a 1, no domingo, o […]

Arquivo Publicado em 27/01/2014, às 12h13

None

Sem ser relacionado pelo técnico Muricy Ramalho para as três primeiras partidas do São Paulo na temporada, o meia-atacante Jadson negou que esteja insatisfeito e queira deixar o clube.


O jogador não foi relacionado pelo treinador são-paulino após se apresentar acima do peso. Na vitória sobre o Oeste por 2 a 1, no domingo, o meia não foi convocado em razão de uma tendinite no joelho direito.


“O presidente [Juvenal Juvêncio] foi o responsável pela minha volta ao futebol brasileiro, e eu respeito demais a opinião dele. Sei que não estou em minhas melhores condições físicas e, por isso, estou trabalhando duro para me recuperar”, disse Jadson.


“Quem vive o dia a dia do clube sabe que eu estou me esforçando demais. Espero que eu consiga entrar em campo o mais rápido possível para poder recuperar o meu espaço e dar a volta por cima”, completou.


A declaração do meia foi uma resposta ao presidente Juvenal Juvêncio, que afirmou ao jornal “Lance!” que o jogador quer sair do São Paulo.


O técnico Muricy Ramalho explicou a situação do meia-atacante. “Ele precisa ter na cabeça que um jogador nessa posição, de movimentação, precisa ter condição física muito boa, se não ele não toca na bola. Se ele não entrar em forma, vai ser difícil”.

INSATISFEITO


Após a vitória sobre o Oeste por 2 a 1, no domingo, no Morumbi, Muricy Ramalho afirmou que o São Paulo está muito longe de ser um bom time neste início de ano.


“A gente teve até o domínio, mas não teve grandes chances. Pelo time que temos, tínhamos que fazer muito mais gols, porque dava para fazer. No fim é desespero do adversário, faz um gol, acredita que dá para fazer outro. Eles foram e quase fizeram, porque isso é futebol. Temos que matar logo o jogo. Por isso estamos muito longe de ser um bom time”, completou.

Jornal Midiamax