Geral

Publicada lei que autoriza concessão de 11 rodovias de Mato Grosso do Sul

A concessão de 11 rodovias de Mato Grosso do Sul virou lei nesta quarta-feira (19), segundo publicação no Diário Oficial do Estado. A concessão será por 30 anos e dada a partir de processo licitatório a ser marcado em breve. As rodovias são a MS-040, MS-112, MS-135, MS-180, MS-223, MS-289, MS-295, MS-306, MS-316, MS-338 e […]

Arquivo Publicado em 19/03/2014, às 17h25

None

A concessão de 11 rodovias de Mato Grosso do Sul virou lei nesta quarta-feira (19), segundo publicação no Diário Oficial do Estado. A concessão será por 30 anos e dada a partir de processo licitatório a ser marcado em breve.

As rodovias são a MS-040, MS-112, MS-135, MS-180, MS-223, MS-289, MS-295, MS-306, MS-316, MS-338 e MS-395. As vencedoras do processo licitatório irão administrar, operar, fazer a manutenção e exploração comercial das rodovias. Serão instalados pedágios ao longo delas e a informação preliminar é de que o valor da taxa será em torno de R$ 4,20.

Quatro das 11 rodovias estão em obras pelo Programa MS Forte 2, em um gasto previsto de R$ 304 milhões. Pela pavimentação das rodovias MS-040 e MS-112 estão sendo investidos R$ 156,5 milhões. Já o trecho de 98 km da MS-180 de Iguatemi a Juti custará R$ 118 milhões, segundo o Governo do Estado.

Os 48 km de pavimentação da MS-316, entre Paraíso das Águas e o entroncamento com a MS-320, em Chapadão do Sul, custará R$ 29,9 milhões do recurso estadual. Os gastos por 161km de todos os trechos será o maior já investido, segundo entrevistas anteriores do governador André Puccinelli (PMDB).

“O investimento irá garantir o escoamento da produção de R$ 200 milhões”, assegurou Puccinelli à Assembleia Legislativa. Já o secretário de Obras, Edson Giroto (PR) defendeu em seu Facebook hoje que a concessão foi dada após dois anos de estudos.

“Com a concessão da BR-163, que será repassada para a iniciativa privada, pelo Governo Federal, a tendência é que os usuários desviem para escapar do pedágio. Em consequência disso, as estradas estaduais não suportarão o aumento do fluxo de veículos. Segundo estudos, em 3 anos esse patrimônio se deteriorará e para restaurar, teremos que fazer altos investimentos, e isso custará ao cidadão sul-mato-grossense”, explicou Giroto.

Com a concessão, as empresas privadas serão obrigadas a duplicar as rodovias estaduais quando o fluxo de veículos atingir 5.500 veículos/dia. Já a BR-163 começará a ser duplicada em abril, o que deve aliviar o atual movimento de cargas na rodovia, que segue em direção aos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR).

Jornal Midiamax