Geral

PTN pode ter candidatura própria para o Governo e promete uma campanha sem palanque

O Partido Trabalhista Nacional (PTN) pode ter uma candidatura própria para o governo do Estado, em 20 anos. Luiz Pedro Guimarães afirmou nesta terça-feira (3) se apresenta como uma quarta via nestas eleições para o governo do Estado, e garantiu que fará uma campanha sem palanque, mas, para o presidente estadual da legenda, Cláudio Sertão, […]

Arquivo Publicado em 03/06/2014, às 17h39

None
1283623540.jpg

O Partido Trabalhista Nacional (PTN) pode ter uma candidatura própria para o governo do Estado, em 20 anos. Luiz Pedro Guimarães afirmou nesta terça-feira (3) se apresenta como uma quarta via nestas eleições para o governo do Estado, e garantiu que fará uma campanha sem palanque, mas, para o presidente estadual da legenda, Cláudio Sertão, o cenário pode mudar no dia 30 deste mês, durante a convenção do partido, e apoiar o PMDB, PT ou PSDB.

O pré-candidato nacionalista afirmou ao Midiamax que o PTN conversa com todas as legendas, porém, a preferência está em dar atenção e espaço aos partidos menores. “O que eu observo é que há uma doutrina política aqui no Estado onde os grandes partidos como PT, PMDB, PSDB ditam as regras”, disse Luiz Pedro. “Eu quero ficar com os insatisfeitos, não queremos ser a terceira via, mas a quarta via, porque o povo não quer mais isso”, ressaltou.

Luiz Pedro citou como exemplo o apoio do pré-candidato Nelsinho Trad (PMDB) ao pré-candidato Eduardo Campos (PSB) para a presidência do Brasil. “Acertaram com o Campos, mas a metade do PSB aqui no Estado não quer ir com Nelsinho, como o pessoal do Rede. Eu acredito que a coligação deve ser feita para satisfazer o povo e não os candidatos”, observou Guimarães.

“O povo não quer mais isso, então vamos deixar que eles façam essas loucuras. Eles ainda acreditam que milhões ganham as eleições, e que grandes acordos ganham eleições”, disse.

Luiz Pedro garantiu que se for confirmada pré-candidatura fará uma campanha diferenciada, sem palanque. “Palanque é onde se amarra jegue. Hoje o mundo moderno, onde temos as mídias eletrônicas, as redes sociais”, afirmou. “O foco nosso será nos debates, eu quero fazer as perguntas que o povo quer perguntar”, ressaltou pré-candidato.

O presidente estadual do PTN, por sua vez, confirma que, a princípio, o partido terá candidatura própria, mas não descarta a possibilidade de coligar com outras legendas, caso não haja condições de lançar candidatura própria ao governo. Mas, o PTN já tem 48 nomes que vão disputar para deputado estadual, e anunciou sua pré-candidatura para deputado federal. Quanto ao senado, o partido ainda não definiu nomes.

Jornal Midiamax