Geral

Protesto de vigilantes paralisa abastecimento de caixas e expediente bancário pode atrasar

O desabastecimento de caixas eletrônicos e atraso em 1 hora no início do expediente bancário podem ser os reflexos da movimentação de alerta, que foi deflagrada pelo Sindicato dos Vigilantes de Campo Grande e Região na manhã desta quinta-feira (6). Os carros fortes deixarão de circular nas cidades de Campo Grande,Três Lagoas,Corumbá,Ponta Porã e Dourados. […]

Arquivo Publicado em 06/03/2014, às 11h05

None
1851956174.jpg

O desabastecimento de caixas eletrônicos e atraso em 1 hora no início do expediente bancário podem ser os reflexos da movimentação de alerta, que foi deflagrada pelo Sindicato dos Vigilantes de Campo Grande e Região na manhã desta quinta-feira (6).

Os carros fortes deixarão de circular nas cidades de Campo Grande,Três Lagoas,Corumbá,Ponta Porã e Dourados. Os caixas eletrônicos que ficarem vazios não serão abastecidos no período da manhã e também não haverá transporte de dinheiro.
Já os agentes patrimoniais, que são responsáveis pela segurança nas agências bancárias, começarão o expediente apenas às 12h. Desta forma, nas cidades de Campo Grande, Dourados e Naviraí os bancos deverão abrir suas portas com uma hora de atraso,pois o atendimento ao público começa às 11h.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Vigilantes, Celso Adriano Gomes da Rocha, a atividade desta quinta-feira é apenas um alerta à classe patronal,que às 16h estará negociando o aumento para a categoria.

As principais reivindicações são: aumento de 9% para todos os trabalhadores. Aumento no ticket alimentação para R$ 400 para os trabalhadores com carro forte e ticket de R$ 15 por dia trabalhado para os agentes patrimoniais. Além disto, a categoria pleiteia jornada de 44h semanal e que o excedente seja computado como hora extra e não mais incluído no bando de horas.

O dirigente afirmou ainda que caso as negociações com os patrões no período da tarde não tenha uma solução satisfatória para a categoria, na sexta-feira (7) mesmo será publicado o edital com a convocação para uma greve.

Jornal Midiamax