Geral

Professora que ironizou advogado em aeroporto do Rio perde cargo na PUC-RJ

A professora da PUC-Rio, Rosa Marina de Brito Meyer, que ironizou a aparência de um passageiro no Aeroporto Santos Dumont, perdeu o cargo interno que ocupava após a publicação que causou nas redes sociais. Ela continua ministrando aulas de duas disciplinas do Departamento de Letras, mas foi afastada do comando da Coordenação Central de Cooperação […]

Arquivo Publicado em 17/02/2014, às 18h56

None
80313472.jpg

A professora da PUC-Rio, Rosa Marina de Brito Meyer, que ironizou a aparência de um passageiro no Aeroporto Santos Dumont, perdeu o cargo interno que ocupava após a publicação que causou nas redes sociais. Ela continua ministrando aulas de duas disciplinas do Departamento de Letras, mas foi afastada do comando da Coordenação Central de Cooperação Internacional (CCCI).

Em portaria enviada aos funcionários nesta segunda-feira, 17, o reitor José Carlos de Siqueira comunica que o professor Carlos Frederico Borges Palmeira, do Departamento de Matemática, assume a função, em caráter interino. Entre outras atribuições, o CCCI administra parcerias de intercâmbio da PUC com universidades no exterior.

Rosa Marina se “queimou” quando publicou no Faceboook um post com a foto de um passageiro na sala de embarque do Santos Dummont acompanhada da legenda: “Rodoviária ou aeroporto?”. Na imagem, o advogado Marcelo Santos, até então não identificado, estava de bermuda e camisa regata. Colegas de Rosa, como o reitor da Unirio, Luiz Pedro Jutuca, e a professora Daniela Vargas, também da PUC-Rio, comentaram o post com mais ironias.

O episódio ganhou destaque quando a personagem Dilma Bolada expôs a publicação. Uma enxurrada de críticas surgiu nas redes sociais.

A professora chegou a apagar a publicação e divulgar um pedido de desculpas em sua página. Daniela Vargas e Luiz Pedro Jutuca também lamentaram seus comentários no post.

Ironia x Ironia

Depois do post polêmico, uma página foi criada com o nome de Rosa Marina Meyer para criticar a publicação. O espaço, que já tem mais de 26 mil curtidas, vem servindo para dar destaque a diferentes casos de preconceito noticiados na imprensa ou relatados pelos próprios seguidores.

Outros casos

A diretora de comunicação da InterActive Corp (IAC) – proprietária de sites como match.com, Meetic, Vimeo e The Daily Beast -, Justine Sacco, foi no fim do ano passado depois de ter feito piada no Twitter com as vítimas da Aids na África. “Indo para a África. Espero não contrair Aids. Brincadeira. Sou branca!”, publicou Justine antes de embarcar para a África do Sul.

A mensagem, lida apenas por seus seguidores, então 200, foi encaminhada para um funcionário do site Buzzfeed.com, que lhe deu maior divulgação, segundo a imprensa americana. Ao desembarcar, Justine apagou a mensagem e sua conta no Twitter, mas o estrago já estava feito, e o comentário virou alvo de chacota e insultos nas redes sociais, tornando a hashtag #JustineSacco uma das mais discutidas no Twitter.

(Com informações de O Globo)

Jornal Midiamax