Geral

Precisando fazer tomografia, idosa internada com AVC não consegue vaga em hospitais

Alzira Moura Souza, de 85 anos, teve AVC no último sábado (7) e desde então está internada em estado grave na UPA Vila Almeida, precisando urgentemente ser transferida para um hospital, mas não consegue por falta de vaga. Precisando urgente de exame de tomografia, a idosa teve parada cardíaca na manhã desta segunda-feira. “Além disso, […]

Arquivo Publicado em 09/06/2014, às 19h04

None
649696927.jpg

Alzira Moura Souza, de 85 anos, teve AVC no último sábado (7) e desde então está internada em estado grave na UPA Vila Almeida, precisando urgentemente ser transferida para um hospital, mas não consegue por falta de vaga. Precisando urgente de exame de tomografia, a idosa teve parada cardíaca na manhã desta segunda-feira.

“Além disso, ela é hipertensa e está com a pressão alta. Os médicos dizem que não podem medica-la enquanto ela não fizer a tomografia. O estado é muito grave, ela precisa ser transferida logo”, ressalta Bianca Moura Souza, 21 anos, neta de Alzira.

Sem vagas

Bianca e familiares da idosa foram à Defensoria Pública na tarde desta segunda-feira tentar a transferência pela Justiça, mas voltaram de mãos vazias.

A Prefeitura de Campo Grande que confirmou que não há vagas na Santa Casa nem no Hospital Regional. A Prefeitura frisou que enquanto os pacientes estão nas unidades de pronto-atendimento aguardando a transferência, estão totalmente amparados.

O Hospital Regional alega estar, há mais de uma semana, operando acima da capacidade.

Prefeitura pediu investimento do Ministério da Saúde

De acordo com o Dr. Jamal Salem, secretário municipal de saúde, a situação em Campo Grande é preocupante. A conta é que faltam 50 vagas de UTI e 800 leitos hospitalares na cidade. A Prefeitura relatou o quadro ao ministro da saúde, que visitou a Capital recentemente. “Solicitamos um investimento para a saúde. Estamos aguardando a resposta”.

Jamal relatou que, por enquanto, a atenção maior é para os atendimentos básicos, “exatamente para evitar complicações maiores que precisem de internação ou transferência”.


Jornal Midiamax