Geral

Prazo para despejar Câmara acaba neste mês e donos do prédio ainda não foram procurados

A pouco mais de uma semana para acabar o prazo que mantém os vereadores no atual prédio da Câmara, os donos do imóvel dizem que ainda não foram procurados para resolver o possível despejo. Segundo o advogado do grupo Haddad Engenharia, André Borges, disse que um dos sócios, Jorge Haddad afirmou que até o fim […]

Arquivo Publicado em 06/04/2014, às 19h58

None

A pouco mais de uma semana para acabar o prazo que mantém os vereadores no atual prédio da Câmara, os donos do imóvel dizem que ainda não foram procurados para resolver o possível despejo.

Segundo o advogado do grupo Haddad Engenharia, André Borges, disse que um dos sócios, Jorge Haddad afirmou que até o fim desta semana a Prefeitura de Campo Grande, responsável pelo aluguel atrasado da Casa de Leis desde 2005, ainda não se posicionou para pagar a dívida de mais de R$ 13 milhões.

“Dia 22 de abril acaba o prazo”, ressaltou Borges. Em entrevista ao Midiamax nesta semana, o presidente da Câmara, vereador Mario Cesar (PMDB) disse que a Casa de Leis está disposta a pagar pelo menos R$ 7 milhões pela desapropriação do prédio que ocupa, baseado na avaliação pelo IPTU.

O prédio já foi declarado pelo ex-prefeito Alcides Bernal (PP) como utilidade pública para fins de desapropriação. Porém, os donos do empreendimento disseram que foram pegos de surpresa com tal decreto e que querem R$ 30 milhões pelo imóvel.

Já Mario Cesar explicou que três avaliações devem ser levadas em contas para estipular o preço do imóvel. Uma é o valor venal a título de IPTU, outra seria da CVI (Câmara de Valores Imobiliários), que tem “peso jurídico” e uma do Creci, que avalia com base na realidade do mercado, disse o vereador.

“Se os proprietários acharem que o valor das avaliações estão abaixo, eles têm o direito de entrar na Justiça”, concluiu Mario Cesar.

Jornal Midiamax