Geral

Por xenofobia, Japão tem primeiro jogo com portões fechados

Era para ser neste domingo mais um jogo entre Urawa Red Diamonds e Shimizu S-Pulse pela J-League, como acontece no Japão desde a fundação da principal liga de futebol do país, em 1993. Mas a partida foi marcada pelo fato de ter sido a primeira na história da competição a ser disputada com portões fechados […]

Arquivo Publicado em 23/03/2014, às 15h04

None

Era para ser neste domingo mais um jogo entre Urawa Red Diamonds e Shimizu S-Pulse pela J-League, como acontece no Japão desde a fundação da principal liga de futebol do país, em 1993. Mas a partida foi marcada pelo fato de ter sido a primeira na história da competição a ser disputada com portões fechados devido a um caso de xenofobia.

O anfitrião Urawa foi punido pela Federação Japonesa de Futebol (JFA) devido a alguns de seus torcedores terem exibido uma faixa com os dizeres “Só japoneses” em inglês na arquibancada do estádio do clube, o Saitama 2002, em jogo contra o Sagan Tosu no último dia 8.

O Urawa então não pôde contar na partida deste domingo com o apoio de sua torcida, que na temporada passada foi responsável por uma média de 37 mil espectadores em suas partidas pela primeira divisão da J-League.

A federação considerou que o Urawa teve uma “grave responsabilidade” no episódio, por já terem ocorrido casos similares no mesmo estádio, e classificou a faixa exibida pelos torcedores como “um gesto discriminatório, independentemente de suas intenções”.

A direção do clube conseguiu identificar os responsáveis e, após entrar em contato com eles, informou a federação a respeito. Porém, a entidade acusa o Urawa de não ter retirado a faixa até o final da partida, apesar de o clube ter tomado conhecimento de sua existência uma hora antes do início do jogo.

Neste domingo, em campo, houve empate em 1 a 1. O Shimizu abriu o placar com gol de Shun Nagasawa no primeiro tempo, e o Urawa empatou na segunda etapa com Genki Haraguchi.

Jornal Midiamax